• Após EUA deixarem acordo nuclear com Irã, Brasil pede 'respeito aos compromissos internacionais'

Manifestação do Itamaraty é divulgada uma semana após Donald Trump anunciar medida. Agência que supervisiona programa nuclear afirma que Irã cumpre determinações do acordo.

Uma semana após os Estados Unidos deixarem o acordo nuclear com o Irã, o Ministério das Relações Exteriores divulgou uma nota nesta terça-feira (15) na qual pediu "respeito aos compromissos internacionais".

No último dia 8, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a saída do acordo sob o argumento de que o Irã é o "principal Estado patrocinador do terrorismo".

Na nota divulgada nesta terça, o governo brasileiro afirma que o "diálogo e o respeito" são a "única via" para as discussões sobre o assunto.

Líder do Irã diz que Trump fez discurso "tolo e superficial"

O anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que vai retirar o país do acordo nuclear de 2015 com o Irã é "tolo e superficial", disse nesta quarta-feira (9) o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei.

 "Vocês ouviram ontem à noite que o presidente da América fez alguns comentários tolos e superficiais", disse o lider iraniano . "Ele disse mais de 10 mentiras em sua declaração. Ele ameaçou o regime e as pessoas, dizendo que eu farei isso e aquilo. Sr. Trump, eu lhe digo em nome do povo iraniano: você cometeu um erro".

"O governo brasileiro reitera sua convicção de que o diálogo e o respeito aos compromissos internacionais constituem a única via para o encaminhamento da questão do programa nuclear iraniano", diz a nota do Ministério das Relações Exteriores.

Em outro trecho, o Itamaraty ressaltou que o Brasil apoiou o acordo nuclear, firmado na gestão de Barack Obama, e que apoia "a maneira imparcial com que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) se desincumbe das tarefas de verificação do programa nuclear iraniano".

Segundo a agência, o Irã cumpre as determinações do acordo assinado com os países do G5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha).

Repercussão

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Javad Zarif, começou no sábado (12) uma viagem diplomática para tentar salvar o acordo nuclear. Zarif visitou Pequim, Moscou e está em Bruxelas. A decisão de Trump causou repercussão em todo o mundo.

O presidente russo, Vladimir Putin, e a chanceler alemã, Angela Merkel, por exemplo, já se declararam favoráveis a manter o acordo nuclear. A União Europeia, por sua vez, também informou que continuará comprometida com o acordo e que fará com que as sanções impostas ao Irã sejam suspensas, desde que o país cumpra os compromissos do acordo.

Leia abaixo a íntegra da nota:

Plano de Ação Conjunto Abrangente – JCPoA

O governo brasileiro reitera sua convicção de que o diálogo e o respeito aos compromissos internacionais constituem a única via para o encaminhamento da questão do programa nuclear iraniano.

A integridade do regime de não proliferação e desarmamento nucleares constitui um patrimônio de toda a comunidade internacional. Por essa razão, o Brasil apoiou o endosso do JCPoA pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, por meio da resolução 2231 (2015), e tem respaldado a maneira imparcial com que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) se desincumbe das tarefas de verificação do programa nuclear iraniano.

O governo brasileiro insta todas as partes do JCPoA a envidarem esforços para uma solução mutuamente aceitável.

Maio 15, 2018 21:27 UTC
Comentários