• Finalizou o processo de aprovação e avaliação da lista final de candidatos presidenciais

Porta-voz do Conselho Guardião da Constituição, Abbas Ali Kadkhodai, numa conferência de imprensa em Teerã, anunciou que o processo de revisão dos candidatos para a eleição presidencial finalizou.

O Conselho tem examinado as qualificações de mais de 1.600 candidatos que se registraram para concorrer à presidência. "Nós realizamos a sessão final sobre o exame das qualificações dos candidatos à eleição presidencial de hoje e, felizmente, chegamos a uma conclusão após cinco dias de numerosas sessões", disse o porta-voz do Conselho, Abbas-Ali Kadkhodaei, na quinta-feira.

Kadkhodai informou na quinta-feira que vai anunciar o resultado da avaliação dos candidatos presidenciais que podem participar nas próximas eleições ao Ministério do Interior e isso pode anunciar publicamente os nomes dos candidatos finais dentro de dois dias.

"É concluído o processo de aprovação de candidatos para as eleições presidenciais no Conselho de Guardião”, disse Kadkhodai. Ao mesmo tempo, disse que uma vez que anunciar os nomes dos candidatos, os candidatos podem começar suas propagandas eleitorais, um processo que continuará até 24 horas antes da eleição.

Além de enfatizar que todos os candidatos devem agir no âmbito da Constituição, o funcionário iraniano afirmou que os infratores da lei eleitoral serão punidos. Além disso, o porta-voz do Ministério do Interior Seyed Salman Samani relatou o mesmo dia a televisão nacional não emitiria diretamente debates dos candidatos da eleição durante a campanha presidencial.

Seguidamente, o Ministério do Interior iraniano divulgou a lista final de candidatos qualificados para concorrer nas próximas eleições presidenciais. Ministério do Interior iraniano na noite de quinta-feira deu a seguinte lista de candidatos elegíveis (em ordem alfabética) aprovado pelo Conselho Guardião.

Mostafa Aqa-Mirsalim, Mostafa Hashemi-Taba, Eshaq Jahangiri, Mohammad Baqer Qalibaf, Seyed Ebrahim Raeisi e o Hassan Rouhani.

Dos antecedentes dos candidatos: Aqa-Mirsalim é membro do Conselho da Expediência, que foi assessor sênior do ex-presidente aiatolá Seyed Ali Khamenei e ex-ministro da Cultura e da Orientação Islâmica; Hashemi-Taba foi vice-presidente dos ex-presidentes aiatolá Akbar Hashemi Rafsanjani e do Mohammad Khatami, ex-ministro das indústrias e ex-chefe da Organização Desportiva. Eshagh Jahangiri, que atualmente é o primeiro vice-presidente, Ministro de minas e metais sob o governo de Mohammad Khatami, governador de Isfahan e parlamentar. Mohammad Bagher Qalibaf, o prefeito de Teerã, ex-chefe da polícia nacional e ex-comandante da Base de Defesa Aérea Khatam al-Anbya do Irã (anteriormente conhecida como Quarter-geral de construção de Khatam-al Anbiya). Seyed Ebrahim Raeisi é o autal Custodiante principal de mausoléu do Imam Reza (Astan Quds Razavi), a organização que administra os assuntos do Santuário Sagrado do Imam Reza (PBUH), o oitavo Imam xiita, na cidade de Mashhad. Além de desempenhar outras funções, atuou como procurador-geral do Tribunal Administrativo de Justiça do Irã. Hassan Rouhani, o atual presidente da República, é o membro do Conselho de Expediência e da Assembleia de Peritos, que nomeia o líder do país. Ele foi também o chefe do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã.

Os candidatos qualificados podem agora começar a campanha eleitoral até às 18:00 da manhã de 18 de maio, disse o Ministério do Interior em um comunicado.

Desqualificado entre os candidatos de alto perfil foram o ex-presidente duas vezes, Mahmoud Ahmadinejad, e seu ex-ajudante Hamid Baqaei.

No início deste mês, o porta-voz do Judiciário iraniano disse que as ações movidas contra Ahmadinejad e Baqaei com relação a violações administrativas estavam abertas e nenhum veredicto final ainda havia sido dado sobre eles. Falando aos repórteres em 16 de abril, Gholam Hussein Mohseni-Ejei disse que os processos foram abertos contra Ahmadinejad na qualidade de presidente e ainda não conduziram à entrega de um veredicto. Uma série de ações judiciais foi arquivada com oficiais judiciais do Irã após o mandato de Ahmadinejad no cargo concluído entre os quais casos de malfeitores são mais proeminentes.

Entre os principais processos movidos contra o ex-presidente estão três queixas da Comissão do Artigo 90 do Parlamento Iraniano.

Observadores preveem uma alta participação na eleição em que os eleitores vão escolher o próximo presidente para um mandato de quatro anos. O processo de registro de cinco dias para a eleição presidencial terminou no sábado e o Conselho Guardião começou a investigar os candidatos à eleição presidencial no dia seguinte.

No início desta semana, o comandante das Unidades Especiais da Força Policial iraniana disse que 20 mil policiais seriam encarregados em todo o país para garantir a segurança de urnas e votação.

Em 19 de Maio que serão realizadas as XII eleições presidenciais do Irã e a V edição das eleições dos Conselhos Municipais e Vilarejos, bem como eleições intercalares do Parlamento iraniano (Majles).

 

Apr 21, 2017 06:09 UTC
Comentários