O ministro das Relações Exteriores iraniano reiterou o compromisso de seu país com o acordo nuclear de 2015, embora soubesse que tal pacto “não aboliu a ameaça dos EUA a paz mundial”.

O chefe da diplomacia iraniana, Mohamad Javad Zarif, reagiu nesta quinta-feira em um comunicado à retórica anti-iraniana da nova administração dos EUA que recentemente intensificou-se com as acusações de que Teerã não respeitou o "espírito" de o acordo nuclear e que suas ações arriscam a estabilidade regional.

Para Zarif, "alegações desgastante dos EUA admite que não podem esconder que o Irã cumpriu o pacto nuclear" que selou o Grupo 5 + 1 (os EUA, o Reino Unido, França, Rússia e China, mais a Alemanha).

Ele recordou que a República Islâmica assinou o acordo, sabendo que isso não poderia suprimir, ou modificar significativamente ameaças dos EUA contra o Irã, contra o Médio Oriente e ao mundo inteiro, sendo os Estados Unidos o principal fator de desestabilização no Médio Oriente".

Segundo o Zarif, acusações infundadas e propagandas negativas de Washington contra Teerã é uma mera cobertura que permite a sua “ação vergonhosa sobre os direitos humanos, tanto dentro e quanto fora do território dos Estados Unidos”.

"Entre as piores violações dos direitos humanos cometidas por EUA, disse chanceler iraniano, estão a proibição à entrada de muçulmanos nos EUA, e os que não aprovam o Israel, o regime "agressor mais infame do mundo", o acesso às armas mais letais, incluindo nuclear e químicos, bem como suporte ataques químicos realizados pelo ditador iraquiano executado, o Saddam Hussein Iraque contra o Irã no início dos anos 80, denunciou também o apoio dado por Washington a grupos extremistas, inspirado pela ideologia da Al-Qaeda, que cometem piores crimes contra a nação síria, utilizando armas de destruição em massa.

Ministro das Relações Exteriores disse que o Irã, "como um ator responsável na comunidade internacional" continuará a respeitar as suas obrigações sob auspícios do acordo nuclear e pediu a Estados Unidos "mudar o curso e cumprir seus próprios compromissos”.

 

Apr 21, 2017 10:06 UTC
Comentários