Hassan Rouhani prestou juramento como 12º presidente do Irã, durante uma cerimônia oficial no Parlamento na presença de altas autoridades do país, bem como líderes e altos políticos de todo o mundo.

A cerimônia de inauguração foi aberta no Parlamento em Teerã no sábado, com delegados de mais de 100 países, incluindo vários chefes de estado.

Após a interpretação do hino da República Islâmica e a recitação dos versículos do Alcorão, o presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, iniciou a cerimônia com seriedade ao receber os dignitários estrangeiros. Ele disse que a participação de mais de 72% do povo iraniano na eleição presidencial mostrou que eles são dedicados ao estabelecimento islâmico.

O presidente do parlamento iraniano acrescentou que o Parlamento apoiaria qualquer esforço do próximo governo para remover os obstáculos na forma de aumentar a produção nacional e o investimento estrangeiro e doméstico.

O chefe do Judiciário, aiatolá Sadeq Amoli Larijani, foi o próximo a pronunciar o seu discurso. Ele disse que a nação iraniana mostrou que apoia a Revolução Islâmica de 1979.

Aqui você pode ler o texto do juramento do presidente iraniano:

"Como presidente, juro pelo Alcorão Sagrado e perante o povo iraniano e por Deus Todo-Poderoso de ser o guardião da religião oficial, o sistema republicano islâmico e da Constituição, e usar todos os meus poderes e competências para cumprir as responsabilidades que me foram confiadas. Colocar-me-ei a serviço de todas as pessoas, exaltar a nação, propagar a religião e ética, apoiar a verdade e a proliferação de justiça, ficar longe de qualquer tipo de egoísmo e defender a liberdade e respeito pelas pessoas e direitos do povo reconhecidos pela Constituição. Não hesitar em tomar medidas para preservar as fronteiras e independência política, económica e cultural do país, com a ajuda de Deus e obedecer ao Profeta do Islã e os Imames (a paz esteja com eles). Vou proteger com lealdade, devoção e sacrifício, como um dever sagrado, o poder que tem me confiado o povo e passar o poder a quem opta o povo depois de mim".

 A cerimônia contou com a presença em Teerã, a capital iraniana, com mais de uma centena de representantes de 85 países e 8 organizações internacionais, incluindo vários presidentes da República, presidente do Senado da Espanha, Pio Garcia Escudero, e o chefe da política externa da União Europeia (UE), Federica Mogherini.

Rouhani ao descrever as principais linhas de atuação do seu governo, agradeceu a presença de dignitários e autoridades estrangeiras na cerimônia da posse e enfatizou em promover as relações externas e laços com todos os países, assim sendo enfatizado nas orientações do líder supremo da Revolução. Ele enfatizou que o Irã continua comprometendo na implementação do plano Integral de Ação Conjunto (acordo nuclear) e não será quem tomará iniciativa de quebra-lo. Ele afirmou que hoje não é a era de demonstrar novos armamentos e bombas mães, mas é o momento de apresentar a mãe de dialogo e convivência, habilidade de conversa pacifica e cooperação regional.

Rouhani agradeceu aos líderes mundiais e dignitários por participarem da cerimônia da posse. Ele disse que a nação iraniana fez grandes sacrifícios no caminho da salvaguarda da liberdade e do estado de direito, acrescentando que os iranianos confiaram no Estabelecimento Islâmico. Ele prometeu seguir as demandas da nação iraniana e enfatizou que seu governo está pronto para defender os interesses nacionais do país.

"O Irã não ficará ocioso diante do incumprimento da JCPOA"

O presidente iraniano referiu-se ao acordo nuclear, assinado entre o Irã e o grupo de países 5 + 1 como um exemplo de consenso nacional sobre questões importantes. Rouhani disse que os EUA não se comprometam às suas obrigações no âmbito da JCPOA, enfatizando que o Irã nunca fará iniciativa em romper o acordo nuclear, mas não permanecerá em silêncio diante da falta de desempenho no acordo por parte dos norte-americanos. Ele enfatizou que o governo iraniano e povo reagiriam a qualquer violação do acordo.

“Rouhani afirmou que os EUA não pretendem cumprir as suas obrigações no âmbito da JCPOA porque querem continuar com a sua política ilegal e ineficaz de sanções e ameaças” e isso prova ao mundo que Washington não pode ser confiável. Ele enfatizou que o tempo de imposição de sanções terminou e pediu a realização de negociações para lidar com questões.

O chefe executivo iraniano disse que o governo iraniano tomou grandes passos para melhorar a saúde da nação, acrescentando que o nível de educação e saúde no Irã é melhor que muitos outros países.

Irã, no entanto, ainda enfrenta grandes desafios, incluindo a escassez de água e o desemprego, ressaltou Rouhani e sublinhando a importância de uma economia forte no país e disse que o próximo governo observa reformas econômicas.

O presidente iraniano também salientou que a República Islâmica continuaria a defender as nações oprimidas em todo o mundo. Ele descreveu a unidade como um fator chave por trás do sucesso da nação iraniana e acrescentou que Teerã busca aumentar os laços com os países vizinhos. O chefe-executivo iraniano disse que os problemas regionais poderiam ser resolvidos apenas através do diálogo e da cooperação e convidou os países da região a se juntar a iniciativas políticas para acabar com a crise no Iêmen.

Ele enfatizou a importância de aumentar o diálogo entre governos e nações para repelir as ameaças "perigosas e complicadas". "[Aumentar] a interação construtiva com os países do mundo, o aprofundamento dos laços com os países vizinhos e regionais e o aumento do nível de cooperação com os países amigáveis ​​que não somente são uma escolha sábia, como também uma necessidade", disse Rouhani. Rouhani advertiu sobre os complôs e intrigas de potências estrangeiras que buscam seus próprios interesses em questões regionais, dizendo que estão criando caos e instabilidade no Oriente Médio.

Após o discurso de Rouhani, Ali Larijani completou a sessão solene da investidura, desejando receber mais cedo possível a proposta ministral do Rouhani ao parlamento para as suas audiências de confirmação e voto de confiança.

Rouhani ganhou a reeleição em uma vitória esmagadora em maio depois de garantir 57 por cento dos votos e derrotar o seu principal rival candidato, Ebrahim Raeisi.

Na quinta-feira, Líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei validou formalmente a credencial do segundo mandato de Rouhani como presidente.

Durante a cerimônia, o aiatolá Khamenei deu sua aprovação oficial ao presidente eleito, dando-lhe um decreto atribuindo-lhe as suas funções. De acordo com a lei eleitoral e da Carta Magna do Irã, o presidente eleito tem que receber a aprovação oficial do Líder antes de ser juramentado perante o Parlamento.

Através deste processo, chamado Tanfiz (endosso), o Líder aprova o resultado da eleição presidencial.

Agora, Rouhani terá duas semanas para apresentar seu gabinete ao Parlamento para um voto de confiança.

 

 

Aug 05, 2017 13:51 UTC
Comentários