• Zarif se encontra com Putin em Sochi

O ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros, Mohammad Javad Zarif, encontrou com presidente russo, Vladimir Putin, na quarta-feira na cidade de Sochi, no centro do Mar Negro.

A situação do Oriente Médio, nomeadamente na Síria, no Iraque e no Golfo Pérsico e os últimos desenvolvimento no Irã, a cooperação da Rússia na luta contra o terrorismo foram temas discutidos por ambos os lados.

A coincidência da reunião com a sexta rodada das conversações de paz de Astana sobre a crise da Síria aumentou a importância dessas conversas.

O Irã, a Rússia e a Turquia são os iniciadores do cessar-fogo de 30 de dezembro de 2016 na Síria. Os três países também planejaram as primeiras conversas de Astana que se realizaram na capital do Cazaquistão de 23 a 24 de janeiro de 2017 e contou com a participação dos representantes do governo sírio e de grupos dissidentes.

A segunda rodada das conversas de Astana ocorreu nos dias 15 e 16 de fevereiro, com os participantes concordando em criar um grupo de monitoramento do cessar-fogo apoiado por Irã, Rússia e Turquia, que apresentou um relatório às Nações Unidas.

A terceira reunião envolvendo as delegações iraniana, russa e turca e das Nações Unidas foi realizada nos dias 14 e 15 de março, na qual os EUA e a Jordânia participaram como observadores.

Na quarta rodada de negociações, os países participantes e as partes em conflito concordaram em criar quatro zonas de escalação na Província de Idlib, nas partes do norte de Homs, no Ghouta Oriental, no campo de Damasco e no sul do país.

Terminar todos os conflitos, a facilitação das ajudas humanitárias, a reconstrução das infra-estruturas, a prestação de cuidados médicos e o regresso dos refugiados foram salientados no acordo.

Após a quinta rodada de negociações em 4 de julho, o negociador chefe de Moscou, Aleksandr Lavrentev, disse que um quadro básico tinha sido "essencialmente acordado" nas últimas negociações, mas alguns detalhes "precisam ser finalizados".

Há seis anos, alguns países ocidentais e árabes, liderados pelos EUA, causaram a movimentação de milhares de terroristas extremistas, que usam armamentos avançados e contam com o apoio financeiro e de inteligência, para entrar na Síria, para derrubar o governo sírio.

As ações anti-sírias criaram dezenas de grupos terroristas que resultaram em massacres e deslocações de centenas de milhares de pessoas inocentes na Síria e no Iraque, e também a destruição dos dois países, mas certos países ocidentais e árabes continuam a apoiar as oposições armadas e os terroristas.

Os últimos desenvolvimentos na Síria, bem como o acordo nuclear entre Teerã e as potências mundiais, destacaram-se nas conversas.

Ao chegar a Sochi, no início do dia, Zarif referiu à coordenação entre Teerã e Moscou sobre os desenvolvimentos regionais, em particular a crise da Síria como principal objetivo de sua visita à Rússia.

Ele disse que a cooperação entre o Irã, a Rússia e a Turquia resultou na melhoria da situação na Síria e a distensão da crise. Ele também sublinhou a necessidade de uma coordenação mais estreita entre o Irã e a Rússia, dada a recente posição dos EUA sobre o JCPOA, o acordo nuclear entre o Irã e o grupo 5 + 1 (Rússia, China, EUA, Grã-Bretanha, França e Alemanha).

 

 

Sep 13, 2017 17:47 UTC
Comentários