• ‘Será um fracasso para quem não cumprir o pacto nuclear com Irã’

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse que o não cumprimento do acordo nuclear implicaria o fracasso para esses .

“Temos sido cuidadosos com o que prometemos (dentro do acordo nuclear) e sempre estaremos firmes em nossos compromissos; isto é uma honra para nós. Em caso que nossa contraparte saia do pacto, isto não será um fracasso para o Irã, mas para eles mesmos ”,  assegurou Rouhani nesta quarta-feira durante  reunião do gabinete.

O presidente iraniano, com tal declaração, claramente tem feito referência à atitude do presidente dos  EUA, Donald Trump, de ameaçar em romper o acordo nuclear, atingido em julho de 2015 pelo Irã e o Grupo 5+1 (Estados Unidos,  Reino Unido, França, Rússia,  China, e Alemanha).

Nesta linha, Rouhani tem assegurado: “quem sair do pacto, acabará com sua própria dignidade”, ao mesmo tempo  enfatizou que os EUA seguramente “sairá danificado” de violar o pacto nuclear —conhecido internacionalmente como o Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA, por suas siglas em inglês) pela discórdia que causaria esta atitude dentro do país norte-americano.

Rouhani, do mesmo modo, tem recordado que “o mundo está por trás da República Islâmica do Irã”, e “ninguém apoia a ruptura de um acordo”, inclusive os aliados dos EUA na Europa.

Na segunda-feira tanto a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) como a União Européia (UE), China e Rússia reiteraram seu apoio ao acordo nuclear o Irã-G5+1 e recusaram a acusação de Trump, de que “Teerã está violando o pacto”.

O inquilino da Casa Branca deve comunicar ao Congresso dos EUA antes do dia 15 de outubro se considera que o Irã cumpre com suas obrigações sob o pacto multilateral e se  Washington se interessa prosseguir  como sócio. Em caso contrário, segundo os meios locais, o Congresso terá 60 dias para revisar o pacto e decidir se reinstaura as sanções contra o Irã que se levantaram em virtude do mesmo.

Teerã reiteradamente tem recordado a Washington que só é uma das partes negociadoras do acordo nuclear e, por tanto, Trump não está em posição de falar de “renegociar” um acordo que já foi avaliado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU).

 

Oct 11, 2017 12:00 UTC
Comentários