• Iranianos se reúnem no terceiro dia em demonstração de unidade, força (+fotos)

As pessoas chegaram às ruas das principais cidades do Irã por um terceiro dia consecutivo para reiterar o apoio ao estabelecimento islâmico após distúrbios espalhados em algumas partes do vasto país.

Os manifestantes reuniram-se na capital Teerã e as cidades de Tabriz, Sari e Kerman para denunciar a violência por aqueles que infiltraram protestos pacíficos para transformá-los em cenas de confronto e ataque à propriedade pública.

Eles carregavam bandeiras nacionais que haviam sido queimadas por alguns rebeldes nos últimos dias, bem como cartazes que denunciavam apoio estrangeiro para a agitação enquanto gritavam slogans contra os EUA, Israel e Arábia Saudita.

Os protestos pacíficos contra as recentes subidas de preços e as condições econômicas gerais na última quinta-feira degeneraram em melee violento por certos elementos que estavam armados às vezes, correndo amok em algumas cidades.

A turbulência marcou os rebeldes levando motores de bombeiros em uma cidade para a multidão de pessoas, matando dois espectadores e atacando uma delegacia de polícia em outro lugar.

Mais de uma dúzia de pessoas morreram na confusão, incluindo a polícia. Segundo os funcionários, algumas das mortes ocorreram mesmo quando as forças de segurança não dispararam uma única bala. Eles disseram que alguns rebeldes usavam espingardas e pistolas para atacar a polícia e disparar contra a multidão de manifestantes.

Também marcou um apoio vociferante expresso pelo presidente dos EUA, Donald Trump, e pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, para os manifestantes em uma onda de tweets que desencadeou a condenação de vários governos e meios de comunicação ocidentais.

 

Jan 05, 2018 14:56 UTC
Comentários