• Arábia Saudita

Pars Today- O mais notório general do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica, Qassem Soleimani, criticou a Arábia Saudita, dizendo que se vendeu para a América.

Falando em uma cerimônia comemorativa do 39º aniversário da Revolução Islâmica em sua cidade natal de Kerman no domingo, Soleimani disse que a Arábia Saudita e seus aliados "venderam tudo o que têm para a América". "Reflexione sobre o estado do país vendendo-se a baixo preço", acrescentou.

O comandante da Força Quds, afirmou que seu país alcançou a vitória na região, dizendo que o Irã ajudou o Iraque a "desarraigar o Baath... e derrotar o Daesh... como atestado até mesmo pelos inimigos".

Os iranianos marcaram no domingo o 39º aniversário da Revolução Islâmica de 1979, e em todo o pais e em especial na capital, as pessoas no domingo cantaram slogans tradicionais contra os Estados Unidos e Israel. Centenas de milhares convergiram para a Praça central de Azadi, onde o presidente Hassan Rouhani mais tarde se dirigiu às multidões.

No exterior, o Irã ajudou com êxito a repelir o grupo do Daesh no Iraque e ajudou o presidente da Síria, emboscado, em Bashar al-Assad, a recuperar o terreno estratégico na longa guerra de seu país.

No final de dezembro e início de janeiro, os protestos em país começaram a criticar as condições economias. Mais tarde, eles se transformaram em algumas cidades do país em manifestações desafiando diretamente o governo Em casa, no entanto, a economia do país ainda luta apesar do acordo nuclear de 2015 com as potências mundiais.

Soleimani disse que aqueles que criticam publicamente o líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei, traem a revolução islâmica e seu fundador. "É triste que algumas pessoas tenham se identificado como seguidores da linha do [líder da Revolução Islâmica aiatolá Khomeini], mas em vez de escrever cartas abertas criticando o inimigo e sua arrogância global, escrevem cartas criticando o guardião da jurisprudência islâmica [aiatolá Khamenei] que está de pé na linha de frente”, disse Soleimani, de acordo com a agência de notícias Tasnim.

Feb 13, 2018 04:32 UTC
Comentários