• O assessor de Lider enviado  a Rússia para entregar as mensagens de autoridades iranianas à Putin

Pars Today- O conselheiro sênior do Líder da Revolução Islâmica, fará uma visita "muito importante" a Moscou para entregar uma mensagem ao presidente russo, Vladimir Putin, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã.

Falando em entrevista à IRIB na terça-feira, Bahram Qassemi acrescentou que Ali Akbar Velayati, conselheiro de assuntos internacionais, embarcará numa viagem à Rússia na quarta-feira como parte dos esforços para tornar a postura do Irã clara após a retirada dos EUA de uma histórica nuclear acordo assinado entre Teerã e o grupo de países P5 + 1 em 2015.

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou em 8 de maio que Washington estava abandonando o acordo nuclear, oficialmente conhecido como Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA), assinado entre Irã e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, China e Rússia - e a Alemanha em 2015.

Qassemi disse: "Depois do erro estratégico de Trump de sair do acordo multilateral e internacional, o JCPOA, a República Islâmica do Irã, decidiu enviar seus representantes especiais" para outros países, visando esclarecer  suas posturas após a retirada dos EUA do acordo.

Ele acrescentou que esses emissários especiais "levam mensagens de alto escalão" de autoridades iranianas sobre os pontos de vista do país e sobre o comportamento egoísta dos EUA, que vai contra as regulamentações internacionais.

O porta-voz iraniano explicou que a visita de Velayati a Moscou também ocorreria de acordo com tal política e notou que ele também viajaria para a China.

"Como dois vizinhos, Moscou e Teerã têm pontos em comum e interesses comuns em arenas regionais e internacionais. Portanto, o encontro entre Velayati e Putin no Kremlin e transmitir mensagens de autoridades iranianas de alto escalão pode ser muito importante", ressaltou.

Ele disse que Velayati também manterá conversações com outras autoridades russas sobre relações bilaterais em setores políticos e econômicos, além de liderar questões regionais e internacionais, incluindo a retirada dos EUA do JCPOA.

Desde que o presidente dos Estados Unidos retirou Washington do acordo nuclear histórico, os países europeus têm se esforçado para garantir que o Irã receba benefícios econômicos suficientes para persuadi-lo a permanecer no acordo.

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse na segunda-feira que seu país continuará com os esforços para salvaguardar as conquistas do JCPOA, dizendo que apresentou uma proposta de cinco pontos a esse respeito.

"Enfrentando a situação complicada e severa no presente, a China claramente apresentou uma proposta de cinco pontos enfatizando, em particular, que as regras internacionais devem ser observadas, os principais países devem mostrar sua integridade e senso de responsabilidade, sanções unilaterais só podem contrariar e deve ser abandonado, e os diálogos e consultas devem aderir a uma abordagem construtiva nas discussões sobre questões de interesses comuns”, disse Hua.

A Alemanha e a China reiteraram na segunda-feira que estão comprometidas com o acordo nuclear de 2015, mesmo após a retirada dos Estados Unidos.

Ao falar ao lado do premiê chinês, Li Keqiang, a chanceler alemã Angela Merkel disse que o acordo nuclear foi bem negociado. O primeiro-ministro chinês também alertou contra as consequências imprevisíveis caso o acordo se desfaça.

 

Tags

Jul 11, 2018 04:43 UTC
Comentários