• Embaixadores iranianos e brasileiros em Viena discutiram cooperação ainda mais profunda

Pars Today- O embaixador do Irã nas organizações internacionais de Viena, Kazem Gharibabadi, manteve conversações separadas com representantes brasileiros de alto escalão sobre formas de aprofundar a cooperação mútua no âmbito da ONU.

Na reunião na capital austríaca, na segunda-feira, as duas partes elogiaram as relações entre as missões iraniana e brasileira em Viena como “boa e construtiva” e enfatizaram a necessidade de continuar as consultas sobre vários temas e impulsionar a cooperação nas organizações internacionais.  

Gharibabadi apontou a história da cooperação entre a República Islâmica e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e elogiou a posição de Brasília sobre o programa nuclear pacífico de Teerã. Ele também denunciou a retirada dos EUA do acordo nuclear de 2015 conhecido como Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA) como “unilateral e ilegal” e destacou as declarações contraditórias de Washington sobre conversas com o Irã.

Durante o encontro, os embaixadores brasileiros em Viena enfatizaram que seu país defende e acredita em valores e princípios relacionados ao JCPOA. Eles também destacaram que seu país defende o multilateralismo e o pragmatismo em sua política externa.

Em uma declaração em 6 de agosto, o presidente dos EUA disse que a política de seu país iria retomar as sanções e a "máxima pressão econômica" ao Irã. Donald Trump disse ainda que Washington está pedindo a todas as nações "que deixem claro que o Irã tem somente uma opção: ou mudar seu comportamento ameaçador e desestabilizador e reintegrar-se à economia global ou continuar em um caminho de isolamento econômico".

Em 8 de maio, Trump retirou seu país do JCPOA, que foi alcançado em Viena em 2015, após anos de negociações entre o Irã e o Grupo 5 + 1 (Rússia, China, EUA, Grã-Bretanha, França e Alemanha). Após a saída dos EUA, o Irã e as demais partes do acordo nuclear lançaram conversas para salvar o acordo.

Entretanto, o Líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei, sublinhou que qualquer decisão de manter o JCPOA a funcionar sem os EUA deve ser condicionada pelas “garantias práticas” dos europeus.

 

Tags

Aug 14, 2018 09:46 UTC
Comentários