• Novas sanções, ao contrário do que Trump pensa, enfurecem mais a sensação antiamericano do povo iraniano

Pars Today / jornal iraniano Keyhan - A medida dos EUA de impor novas sanções contra o Irã, ao contrário do que o presidente esperava, provocou mais sentimentos anti-EUA entre a nação iraniana.

O site "contrepoint" escreveu em um relatório que a política de sanções de Washington colocou a Europa em uma posição fraca e passiva. Agora a Europa age completamente desarmada.

O país do norte está tentando forçar o governo iraniano a assinar um novo acordo nuclear mais severo do que o atual, ou, se não o fizer, provocar uma revolta popular que leve à derrubada do governo, mas ao contrário do que os norte-americanos imaginam, o efeito foi contrario. Tal medida apenas aumenta os sentimentos antiamericanos entre o povo iraniano.

O portal "contrepoint" acrescenta: a questão que surge é por que essas sanções foram impostas ao Irã. Por que essas pressões são aplicadas contra o país persa?

Simplesmente, no olhar do americanos, as razões parecem gerais e empíricas,  ou seja, o Irã é um Estado islâmico e autoritário que viola o Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), mas a influência de Israel sobre o presidente dos Estados Unidos sempre surpreende o mundo.

Na opinião da Arábia Saudita, a influencia pelo Irã na grande parte da região pelo Irã é catastrófico. A República Islâmica do Irã tem influência no Iraque com uma população majoritariamente xiita; na Síria, com o assessoramento iraniano agora o governo legitimo do país árabe mantêm o poder estável e o Bashar al-Assad e graças ao apoio direto das forças iranianas e do Hezbollah do Líbano. Também o país persa tem influência no Iêmen e no Líbano, onde o Hezabolá mantém o controle em grande parte graças ao apoio de Teerã. No Iêmen, o Irã apoia os Houthis, e Riad, apesar de desencadear uma sangrenta guerra contra o Iêmen, ainda não conseguiu forçá-los a se render.

 

Tags

Aug 30, 2018 07:49 UTC
Comentários