Pars Today- O chefe do Estado Maior-general das Forças Armadas Iranianas, Major General Mohammad Baqeri, afirmou que os EUA vêm provocando os terroristas sediados na região semi-autônoma do Curdistão, no Iraque, no ano passado, para lançar ataques contra o território iraniano, apesar de suas promessas anteriores de não fazê-lo.

Falando na terça-feira, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Iranianas, general Mohammad Baqeri, fez referência a um ataque de mísseis do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRCG) em uma reunião de terroristas no Curdistão iraquiano, dizendo que a nação iraniana se reserva o direito de se defender.

Mais de duas décadas que autoridades do Curdistão iraquiano e do Partido Democrático do Curdistão haviam "assumido um compromisso por escrito de não realizar operações no Irã, mas eles vêm quebrando essa promessa no ano passado sob a provocação dos EUA", disse ele.

"Isso não era aceitável para nós e, portanto, repetidamente os advertimos", acrescentou o comandante iraniano.

O IRGC tem comunicado que tinha disparado sete mísseis terra-superfície de curto alcance contra uma reunião de comandantes de terroristas na região semi-autônoma no sábado, o que lhes causou um duro golpe. Os terroristas, dizia a declaração do IRGC, procuravam criar insegurança e realizar atos de sabotagem nas províncias iranianas do Azerbaijão Ocidental, Curdistão e Kermanshah.

O militar superior iraniano disse que o governo iraquiano em Bagdá e o governo regional do Curdistão (KRG) não devem permitir o estabelecimento de bases anti-iranianas e, em vez disso, extraditar os remanescentes de elementos "criminosos" para o Irã ou deportá-los.

Se a insegurança persistir, alertou Baqeri, mais medidas severas seriam tomadas contra os centros terroristas em “nossa legítima defesa”.

As forças iranianas atingiram todos os seus objetivos no ataque de mísseis, disse ele. "Não é coincidência que os mísseis tenham chegado a esta congregação e esperamos que não precise repetir isso (ataque com mísseis)."  

Separadamente na terça-feira, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Qassemi, disse que o Irã não seguirá uma política de apaziguamento quando se trata de questões de segurança e da violação de sua soberania por elementos terroristas. O porta-voz iraniano observou que o ataque com mísseis não foi e não será a melhor escolha do Irã, mas as atividades terroristas, especialmente contra os guardas de fronteira iranianos e soldados que tinham sido mortos nestes atentados terroristas, deixaram as Forças Armadas iranianas num estado de realizar operações e medidas de retaliação e dissuasão, com base em informações credíveis que receberam”. Ele também expressou esperança de que a fronteira conjunta com o Iraque esteja entre as fronteiras mais seguras e estáveis ​​da região.

 

Tags

Sep 12, 2018 02:36 UTC
Comentários