• Presos palestinos iniciam greve de fome nas prisões israelenses

Pelo menos 700 presos palestinos iniciaram nesta segunda-feira uma greve de fome‎coletiva nas prisões israelenses.‎

A greve, encabeçada por Marwan Barquzi, alto cargo da o-Fatah, celebra-se em solidariedade com os presos palestinos atualmente nas cárceres israelenses e espera-se que de maneira simultânea milhares de palestinos saiam às ruas a manifestar-se e expressar seu apoio à respeito.

"Perto de um milhão de palestinos foram  detidos, torturados, humilhados física e psicologicamente, e submetidos a condições duras e degradantes nas Bastillas do bárbaro colonialismo sionista", afirma Barquzi em uma carta recolhida pela agência palestina Maan .

Tanto na greve como nas manifestações participam integrantes, simpatizantes e presos da o-Fatah, do Movimento de Resistência Islâmica Palestina (HAMAS), do Partido do Povo Palestino (PPP) e da Frente Popular da Luta Palestina (PPSF).

Um dos principais objetivos desta greve de fome é pôr fim à detenção administrativa e ao regime de isolamento, e forçar a instalação de telefones públicos para os presos palestinos e uma melhora da situação dos presos palestinos nas prisões  israelenses .

 

Apr 17, 2017 16:50 UTC
Comentários