• Os dois principais grupos parlamentares do Iraque exigem a enúncia imediata do primeiro-ministro

Pars Today- Dois dos principais grupos parlamentares do Iraque pediram neste sábado ao primeiro-ministro Haidar al-Abadi que se demitisse após uma grande agitação na cidade de Basra, no sul do país, devido às más provisões públicas.

"Exigimos que o governo peça desculpas ao povo e renuncie imediatamente", disse Hassan al-Aqouli, porta-voz da lista do clérigo xiita Moqtada al-Sadr, que obteve a maioria das cadeiras em uma eleição em maio. O anúncio deu um duro golpe às esperanças de Abadi de manter seu posto por meio de um bloco parlamentar revelado dias antes com Sadr, um ex-chefe de milícia. Ahmed al-Assadi, porta-voz da segunda maior lista, a “Aliança da Conquistada” e, condenou "o fracasso do governo em resolver a crise em Basra", uma cidade do sul onde 12 manifestantes foram mortos esta semana pelas forças de segurança.

A Aliança da Conquista estava "no mesmo comprimento de onda" que a lista de Marchando Rumo à Reforma de Sadr e eles iriam trabalhar juntos para formar um novo governo, disse Assadi.

Abadi defendeu seu histórico no Parlamento, descrevendo a agitação como "sabotagem política" e dizendo que a crise dos serviços públicos estava sendo explorada para fins políticos. A raiva e fúria da população em Basra aumentou após a hospitalização de 30 mil pessoas que haviam bebido água poluída, em uma região rica em petróleo onde os moradores reclamaram por semanas de falta de água e eletricidade, corrupção entre as autoridades e crescente desemprego.

Os manifestantes incendiaram prédios do governo, o consulado iraniano e os escritórios das milícias e partidos políticos pró-Teerã.

Abadi se esforçou para amenizar  a raiva e as autoridades prometeram um plano de emergência multibilionário para revitalizar a infraestrutura e os serviços no sul do Iraque.

Tags

Sep 09, 2018 09:13 UTC
Comentários