• Delegações do Irã recebida em Fátima

Vice-reitor do Santuário de Fátima salientou que a construção da paz é uma missão comum que une cristãos e muçulmanos.

Como cristãos e muçulmanos somos povos peregrinos pela natureza da nossa fé», disse na ocasião Vítor Coutinho, recordando que o Islão é «uma religião da paz». «Neste sentido há algo muito forte que nos une: a motivação de sermos construtores da paz», referiu o sacerdote, baseando-se no mesmo propósito inerente à Mensagem de Fátima.

 

«Desejo que sintam este ambiente de paz e consigam sentir aqui um forte grito de paz para o mundo inteiro e, na minha oração, rezarei pela paz no vosso país, para o vosso povo e para toda a região», destacou o vice-reitor do templo mariano, citado pelos serviços de comunicação do Santuário de Fátima.

 

Por sua vez, Alaeddin Boroujerdi expressou a sua gratificação pelo encontro na Cova da Iria. «Em nome de Deus agradeço contente por estar aqui e poder fazer esta visita», disse o parlamentar iraniano, realçando o carácter «celestial» de ambas religiões, um facto que as «aproxima naquilo que é essencial».

 

Alaeddin Boroujerdi aproveitou a ocasião para recordar que o nome `Fátima´ é muito importante para os muçulmanos, uma vez era assim que se chamava a «filha predileta do profeta», e que o próprio Corão, livro sagrado para os muçulmanos, tem versículos dedicados a Maria.

 

Depois do encontro, que contou também com a participação do embaixador do Irão em Lisboa e do presidente da Comissão Parlamentar dos Negócios Estrangeiros, Sérgio Sousa Pinto, teve lugar uma troca de presentes, com os responsáveis pelo Santuário de Fátima a oferecerem à delegação parlamentar a medalha que assinala os 100 anos do fenómeno de Fátima.

 

 

Maio 09, 2018 19:00 UTC
Comentários