Um incêndio de grande dimensão deflagrou esta madrugada no edifício Grenfell, em Londres, uma torre residencial de 27 andares no bairro de Lancaster West, sem que haja, até agora, registo de vítimas.

Sobe para 30 o número de mortos em incêndio de Londres

Subiu para 30 o número de mortos no incêndio que aconteceu nesta quarta-feira (14), em Londres, no edifício Grenfell Tower . A informação foi dada pela polícia da cidade, através o Twitter. 

O governo do Reino Unido abriu investigação para apurar o que deu início às chamas. 

O fogo teve início no segundo andar do prédio. Dany Cotton, comissária dos bombeiros, afirmou que nunca havia visto um incêndio tão grande em seus 29 anos de carreira.

 

Número de mortos em incêndio em prédio de Londres sobe para 17

Ao menos 24 nomes de desaparecidos têm circulado entre parentes e amigos dos moradores do prédio.

As autoridades britânicas informaram nesta quinta-feira (15) que subiu para 17 o número de mortos no incêndio da véspera em um prédio residencial em Londres. A expectativa é que o número suba à medida que os bombeiros avancem suas buscas no local.

A polícia não informou a quantidade de desaparecidos, gerando frustração entre familiares que não encontraram seus entes. Ao menos 24 nomes de desaparecidos têm circulado entre parentes e amigos dos moradores do prédio.

A primeira-ministra Theresa May visitou o local e prometeu uma "investigação adequada" sobre as causas do incêndio.

Segundo a polícia, não há indícios de que as causas do incêndio tenham relação com o terrorismo -o Reino Unido foi alvo de três atentados desde março, os quais deixaram um total 35 mortos.

Os bombeiros terminaram de apagar as últimas chamas do edifício na manhã desta quinta-feira e estão trabalhando para garantir a segurança da estrutura do local para prosseguir com as buscas.

A rainha Elizabeth 2ª prestou homenagem "à bravura dos bombeiros e outros serviços de emergência que arriscaram suas vidas para salvar outras pessoas".

O edifício Grenfell Tower foi construído em 1974 e reformado no ano passado em uma obra orçada em £ 10 milhões (R$ 46 milhões), segundo o "Financial Times".

Em seus 24 andares, abrigava 120 apartamentos em torno de uma única escadaria.

Ao lado de um parque e diante de uma escola de ensino fundamental, ele está localizado na porção norte de Kensington, colado a Notting Hill, região rica de Londres.

 

Sobe para 12 o número de mortos em incêndio de Londres

A policia metropolitana de Londres confirmou que subiu para 12 o número de mortos na sequência do incêndio que deflagrou na torre Grenfell.  

É expectável que o número de vítimas mortais possa aumentar nas próximas horas, afirmou ainda a polícia londrina. 

Os serviços de emergência confirmaram que 65 pessoas deram entrada em seis hospitais na sequência do incêndio que deflagrou na torre Grenfell. 18 pessoas estão, neste momento, em estado crítico.

Mais de 200 bombeiros estão a combater as chamas há mais de 16 horas. 

Pelo menos 12 pessoas morreram na sequência do incêndio na torre de Grenfell. 18 pessoas estão em estado crítico.

Apolícia metropolitana de Londres informou que mais de 200 bombeiros combatem as chamas e que várias ambulâncias foram enviadas para o local, que foi isolado.

O fogo, de grandes dimensões, deflagrou às 01:15 hora local na torre Grenfell, numa zona próxima de Notting Hill, está a ser combatido por 200 bombeiros e 40 veículos, disseram à Efe fontes da Brigada de Bombeiros da capital britânica.

Na sua conta de Twitter, a MET afirmou que "várias pessoas" estão a ser atendidas por ferimentos de diversa gravidade e inalação de fumo.

As imagens do incêndio mostram pessoas com lanternas a tentar enviar sinais de socorro já que não conseguem abandonar a torre envolta em chamas, que se receia poder desmoronar-se devido à extensão do fogo.

 

Prédio de Londres em risco de colapsar após incêndio

Segundo a CNN, a Torre de Grenfell, em Kensington, onde esta noite deflagrou um incêndio de grandes dimensões, está em risco de colapsar.

O incêndio, recorde-se, começou no segundo andar do prédio e alastrou-se até ao 24.º. Dentro do edifício ainda se encontrarão vários moradores. Testemunhas relatam que ainda se ouvem gritos e pedidos de ajuda.

No local estão cerca de 200 bombeiros a participar nos trabalhos de salvamento.

Pessoas já foram vistas a atirarem-se em desespero pela janela.

Um repórter da BBC, que se encontra no local, diz que todos os andares terão sido afetados e que há receios de que o prédio possa colapsar.

Residentes de edifício em Londres estão a usar lençóis para fugir

Oincêndio que deflagrou esta madrugada num prédio de 27 andares em Londres está a causar o pânico na cidade.

Várias testemunhas têm partilhado nas redes sociais o horror que se vive dentro e fora do edifício e onde se encontram 200 bombeiros a combater as chamas.

No Twitter, lêem-se testemunhas que dizem ouvir muitos gritos, tanto fora como dentro da torre de Greenfell.

Referem, ainda, que alguns dos moradores do prédio estão a amarrar lençóis uns aos outros e a usá-los como cordas para tentar sair do edifício.

Outros estarão a tentar fazer sinais de luzes dentro dos apartamentos para alertar as autoridades de onde se encontram, reporta o Mirror.

Já a CNN refere mesmo que já foram vistos corpos a cair do prédio, supondo-se que se terão atirado em sofrimento.

Não é ainda certo quantas pessoas ainda se encontram dentro do edifício nem quantas já terão escapado. Os dados mais recentes referem que pelo menos 30 pessoas ficaram feridas no incêndio, tendo sido transportadas para cinco hospitais da capital britânica.

O incêndio terá sido controlado perto das 6h00, mas o fumo continua a ser intenso.

Autoridades confirmam "várias mortes" no incêndio em prédio de Londres

De acordo com a BBC, que cita fonte dos bombeiros, o incêndio na Torre de Grenfell, em Londres terá causado "múltiplas fatalidades", não havendo ainda um número certo para as mortes já registadas. Também a causa do incêndio está por apurar.

"Há vários mortos. Não posso confirmar um número neste momento, devido ao tamanho e complexidade do prédio", afirmou Dany Cotton, responsável pela Brigada de Incêndios de Londres, em declarações à imprensa.

"Consigo confirmar que há vítimas mortais e feridos. (...) Qualquer pessoa que esteja preocupada com familiares e amigos deve contactar as autoridades. Se não conseguir de imediato, por favor, tente outra vez", disse.

O responsável adiantou ainda que "foi colocado um cordão de segurança nas imediações e alguns residentes de prédios da zona foram retirados por precaução".

"A autoestrada 40 foi encerrada nos dois sentidos. Pedimos por favor às pessoas

O comissário fez saber também que as causas do incidente ainda não foram apuradas e que este tem uma dimensão "sem precedentes".

Pelo menos 50 pessoas levadas para hospitais na sequência do incêndio

Pelo menos 50 pessoas foram hoje transportadas para cinco hospitais em Londres na sequência de ferimentos sofridos no incêndio num edifício residencial de 27 andares na capital britânica, informou o Serviço de Ambulâncias.

Ofogo de enormes dimensões, que deflagrou à 01:15 (mesma hora em Lisboa) na torre Grenfell, numa zona próxima de Notting Hill, e cuja origem ainda é desconhecida, também causou "muitos mortos", segundo o chefe do Serviço de Bombeiros, Dany Cotton, citado pela agência espanhola Efe.

Dany Cotton admitiu que se trata um "incidente sem precedentes" e confessou que, nos seus 29 anos como bombeiro, "nunca tinha visto nada desta magnitude".

Cerca de 200 bombeiros e 45 camiões autotanques estão a combater as chamas no edifício, em que presumivelmente estavam centenas de pessoas no momento em que o fogo deflagrou.

Pelo menos vinte ambulâncias foram enviadas para as imediações do edifício, que foi isolado por agentes com receio que possa colapsar.

O edifício tem 120 habitações onde se estima que morem cerca de 500 pessoas, muitas delas jovens famílias.

Na sua conta no Twitter, a Polícia Metropolitana de Londres confirmou que os serviços de emergência têm atendido "muitas pessoas" feridas e por inalação de fumo, durante a tentativa de resgatar aqueles que ainda se encontram no interior da torre.

Duas crianças portuguesas estão internadas com prognóstico reservado na sequência do incêndio, enquanto os pais foram assistidos, mas estão bem, segundo disse à Lusa fonte da Secretaria de Estado das Comunidades.

Três famílias de portugueses e mais dois portugueses residiam no prédio em Londres que hoje ficou destruído por um incêndio, informou a cônsul-geral de Portugal na capital britânica.

Joana Gaspar adiantou à agência Lusa que os restantes portugueses já foram contactados pelo consulado e estão bem, embora tenham perdido as suas casas.

 

Jun 14, 2017 09:24 UTC
Comentários