• Turquia: Não há extradições para os EUA até entregar Gulen

A Turquia deixará de entregar suspeitos aos EUA se Washington não extraditar o clérigo culpado por orquestrar um golpe militar de 2016 falhado, ameaçou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan na quinta-feira.

"Nós extraditamos 12 terroristas aos Estados Unidos até agora, mas eles não nos deram de volta ao que queremos. Eles inventaram desculpas de nada", disse Erdogan aos administradores locais em uma conferência em seu palácio presidencial em Ancara,  informou a Reuters  .

"Se vocês não o extraditando [Fethullah Gulen], desculpem-nos, mas a partir de agora sempre que nos pede outro terrorista, enquanto eu permanecer no cargo, não vai conseguir", disse ele. O governo do presidente Recep Tayyip Erdogan afirma que Gulen planejou a tentativa de golpe de ataque de 2016, em que mais de 240 pessoas, muitos deles civis desarmados, foram mortos por soldados desonesto.

O governo turco emitiu mandados para a detenção de 70 oficiais militares suspeitos de ligações com Gulen. No início deste mês, promotores da província central turca de Konya emitiram mandados contra 58 policiais ainda em serviço ativo, bem como 12 oficiais que anteriormente foram demitidos das forças armadas. Gulen, que viveu no exílio auto-imposto nos Estados Unidos desde 1999, negou as acusações e condenou o golpe e subsequente  "caça as bruxas”. Desde o golpe fracassado, mais de 50 mil pessoas, incluindo funcionários públicos e pessoal de segurança,  foram presas no julgamento e cerca de 150 mil suspenderam ou  demitiram dos seus empregos sob o  estado de emergência, impostas e estendidas por Erdogan.

 

Jan 12, 2018 07:02 UTC
Comentários