• Cientistas mexicanos formulam uma molécula para exploração de crudo

Pesquisadores da Faculdade de Química da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) conseguiram criar uma molécula inócua capaz de conhecer o fluxo de fluidos a mais de 2500 metros de profundidade e assim permitir a exploração de campos petrolíferos.

É uma molécula biodegradável que tem um anel de benzeno que contém tricolor e um sal de anilina, com uma parte fluorada, uma substância quantificável que é expulso do depósito, em locais que não interagem mais com a rocha ou o óleo.

O projeto, chamado "Processos de recuperação aprimorados com tecnologia de injeção química (ASP) com aplicação através de teste piloto no campo Poza Rica", também busca melhorar a qualidade dos combustíveis.

O que é necessário para explorar o petróleo é saber, na primeira etapa, a estrutura e características dos depósitos, explica José Fernando Barragán, médico em ciências químicas. “Com os resultados, estamos localizados nas grandes ligas do desenvolvimento de tecnologias e, por enquanto, estamos trabalhando em uma segunda versão do mesmo rastreador”, explicou José Fernando Barragán, médico em ciências químicas.

"Com os resultados, estamos localizados nas grandes ligas do desenvolvimento de tecnologias e, por enquanto, estamos trabalhando em uma segunda versão do mesmo rastreador", acrescenta o especialista.

De acordo com a Agência de Pesquisa e Desenvolvimento (ID), publicada na quarta-feira, a molécula é resistente à salinidade, altas temperaturas e pressão, e espera adquirir a licença no México e nos Estados Unidos.

 

Tags

Jan 12, 2018 20:39 UTC
Comentários