• Acham um diamante que conserva 4º mineral mais abundante de Terra

Os cientistas do Departamento de Ciências da Terra e da Atmosfera da Universidade de Alberta (UBC), no Canadá, conseguiram encontrar o quarto mineral mais abundante do planeta, a perovskita de cálcio e cálcio (CaSiO3), em um diamante, extraído de 700 km de profundidade.

"Ninguém conseguiu manter este mineral estável na superfície da Terra. A única maneira possível de preservar este mineral na superfície da Terra é quando está preso em um recipiente firme como um diamante (...). Com base em nossas descobertas, pode haver tanto quanto zetta toneladas (1021) desta perovskita na Deep Earth”, explicou Graham Pearson, professor da referida universidade e presidente da Cátedra de Excelência do Canadá. 

A equipe de especialistas da UBC encontrou o mineral dentro de um diamante extraído a menos de um quilômetro abaixo da crosta terrestre e teria resistido mais de 24 mil milhões de Pascais de pressão, equivalentes a 240 mil atmosferas.

Foi extraído da famosa Mina Cullinan na África do Sul, conhecida como a fonte de duas das maiores das joias de diamantes na coroa britânica. Os diamantes desta mina estão listados entre os mais valiosos do mundo, mas do ponto de vista científico também são importantes porque facilitam o estudo das partes mais profundas do núcleo da Terra.

"Os diamantes são maneiras realmente únicas de ver o que está na Terra. E a composição específica da inclusão de perovskite neste diamante em particular indica claramente a reciclagem da crosta oceânica no manto inferior da Terra. Ele fornece um teste fundamental do que acontece com o destino das placas oceânicas quando eles descem para as profundezas da Terra”, diz Pearson.

A revista Nature publicou nesta quinta-feira os detalhes desta descoberta em um artigo intitulado "a perovskita de CaSiO3 em diamante indica a reciclagem da crosta oceânica no manto inferior".

 

 

Mar 08, 2018 19:50 UTC
Comentários