Este programa foi preparado pelo motivo do auspicioso nascimento de Imam Ali (que a paz esteja com ele).

Falamos de sabedoria do Imam Ali (A.C) e do conhecimento de uma personalidade escolhida, aquele que nenhuma caneta ou palavra é capaz de descrevê-lo. O profeta ao seu respeito disse: Deus concedeu tanto conhecimento e sabedoria a Ali, que se fosse distribuído este sabedoria entre os terrestres, todos podem beneficiar e aperfeiçoar o seu conhecimento (Bahar-Ul-Anvar, Vol. 39). A seguir podemos familiarizar um pouco com este oceano de sabedoria do Imam Ali (S.A).

O sol radiante, pouco a pouco se retirou de toda a parte, do deserto deslumbrante, do mar e dos busques e mesmo do deserto árido e seco de Meca, soprava uma suave brisa das montanhas e da parte da gruta de Hera (perto da Meca), quieta se mudando em direção a Kaaba. Era a segunda sexta-feira do mês de Rajab enquanto os fieis estavam circulando a volta da casa de Deus.

Naquele dia, Fatima Bent Asad, uma senhora da fé pura, como qualquer outra pessoa, circulava a Kaaba entre os peregrinos da casa de Deus, quando de repente sentiu os sinais de parto e, sentindo-se mal, ela se dirigiu a casa de Deus falando: "Oh Deus, eu tenho fé em Você e seus Enviados e em seus escritos que afirmam as palavras de meu avô Abraão Khalil, que construiu esta antiga casa. Por aquele que tem construído esta casa e pela criatura que me carrego no meu ventre, facilita o seu nascimento”. De repente, uma parede da Kaaba se abriu e Fatima bint Asad entrou-a, e logo se fechou. As pessoas surpreendidas se reuniram ao redor da Kaaba. Os responsáveis ​​e aqueles que tinham a chave da porta não poderiam abri-lo e assim ninguém pode entrar, mas estavam ansiosos para saber o que estava acontecido. Este ato se propagou de boca em boca entre todo o povo de Meca.

Passaram três dias do evento e, de repente, no quarto dia, a mesma parede por onde Fátima tinha entrado abriu-se novamente e, diante dos olhos espantos do povo, Fatima Bent Asad saiu feliz e contente da Kaaba com um bebê recém-nascido nos braços e com um rosto radiante virou-se para o público e disse. Ó gente, Deus entre seus crentes me tem elegido, sou superior às mulheres privilegiadas do passado. Se Asieh (espoa de Faraó) adorava secretamente o Senhor... e se Maria abalava o tronco de uma palmeira seca e caia tâmaras maduras e frescas, Deus fez-me superior a todos elas e todas as mulheres do mundo, porque eu dei à luz o meu filho em casa de Deus. E durante três dias fui sua convidada. E me serviram frutas do paraíso e refeições divinas. Deixando a Kaaba, o Senhor me chamou e me disse: Fátima chame o seu bebê "Ali", porque é exaltado e seu Senhor é o mais Exaltado. Eu chamei para mim e dei os segredos do meu conhecimento. Ele é o único que vai purificar a minha casa da obscenidade dos ídolos. Ele chamará todos e cada um à oração, da minha casa e a mim somente adoraria. Bem-aventurados os que amam e o seguem; amaldiçoados são aqueles que se opõem a ele ou são seus inimigos. Ele será o líder da minha nação após o profeta Mohammad (saudações esteja com ele e seus descendentes), abençoados são aqueles que o amam e ajudam-no e aí de quem desobedece-lo e querem destruir...

Este bendito evento ocorreu na sexta-feira, dia 13 do mês de Rajab, trigésimo ano de Elefante, (o nome é derivado de um evento que se diz ter ocorrido em Meca: Abraha, o governante abissínio, cristão do Iêmen, que estava sujeito ao Reino de Aksum da Etiópia, marchou sobre a Kaaba em Meca com um grande exército, que incluía um ou mais elefantes de guerra, com a intenção de demoli-lo).

Esta foi à primeira luz da bênção divina da vida derramado sobre um bebê que seria o símbolo da perfeição e da justiça na comunidade humana. Um famoso escritor cristão de origem libanesa, George Jordac, que se rendeu à grandeza e virtude de Imam Ali, dizia: “para aquele que não conhece este grande homem e não se sabe a sua história, eu testemunho que ele é o elemento eterno da virtude, do martírio e o líder dos mártires, a voz da justiça humana e uma personalidade eterna do Oriente”. Entre os filhos de Adão e Eva na história da humanidade ninguém foi como Ali. O Islã de Ali floresceu e brotou das profundezas de sua alma. Os muçulmanos da época antes de se converter ao Islã adoravam ídolos de clã de Quraysh, mas a primeira adoração do Ali foi para o Deus de Mohammad. Ali é como uma montanha firme e resistente no caminho da justiça e a sua natureza humana pura e força da fé e da razão, lutou contra a aristocracia, o capitalismo e a tirania dos poderes corruptos. Ele foi um mar agitado que se estende por todo o universo.

Sendo pioneira em aceitar o Islã e o monoteísmo que é dos assuntos que o Alcorão Sagrado tem apoiado e anunciado implicitamente que aqueles que foram os primeiros a se converter ao islamismo, serão os primeiros a obter a satisfação de justiça e outras bênçãos divinas. O foco especial do Alcorão em tema "Precedência no Islã" é tal que mesmo as pessoas que antes de conquistar a Meca tinham fé e sacrificaram suas vidas e bens no caminho de Deus, eram consideradas superiores às pessoas que depois de vencer ao povo de Meca acreditaram e tornaram-se mártires.

Após a designação do profeta Mohammad como Mensageiro de Deus, Abutaleb, o pai do Ali viu o seu filho, que estava orando junto com o Profeta e perguntou-lhe: Ó meu filho! Que religião é esta e se converteu a quê? Ali respondeu: Ó pai! Eu acredito  no Mensageiro de Deus, no que tem sido revelado e tenho rezado junto com ele, seguindo o seu exemplo. Respondeu o seu pai: Certamente que não te guiaria a não ser a bem, segure-o.

O terceiro ano da designação, Deus inspirou um versículo em que pediu ao Profeta que convidasse sua família ao Islã. Profeta de Deus convidou ao seu lar 40 membros da família e serviu-lhes comida. Mas naquele dia, Abulahab provocou um distúrbio e impediu que Mohammad anunciasse a sua mensagem. Outro dia, convidou-os e disse: Ó filhos de Abdul Mutalib! Eu juro por Deus que não conheço outra pessoa que tivesse trazido ao seu povo algo melhor do que eu os trouxe. Trago-vos o bem deste mundo e no próximo. Meu Deus ordenou-me para convocar a Ele. Quem dentre de vós me apoiaria e será o meu irmão e o meu herdeiro e sucessor?

O Profeta fez a pergunta três vezes. Só o jovem Ali (que era um adolescente de dez anos) respondeu e aceitou o compromisso. Então, o Profeta do Islã disse: Esta é Ali, meu irmão, meu sucessor e herdeiro entre vós depois de mim.

Ali foi sempre fiel companheiro do Profeta do Islã e aproveitou de sua existência iluminada. Ele disse: “Todos os anos que estava na gruta de Hira eu o vi e ninguém o viu exceto eu”. Naquela época, apenas na casa do Profeta de Deus, a sua esposa Khadijeh se tinha convertido muçulmana e Ali foi o segundo.... Eu vi a iluminação da revelação e senti a flagrância de profecia.

Ali foi o único que arriscou sua vida quando dormir na cama do Profeta para protegê-lo da ira do grupo cobiçoso de Quraish que queria matar o Mensageiro de Deus, imaginara que era ele. O Imam Ali ao lado do Profeta de Deus estava preocupado com fé e salvação dos homens que não aceitavam a abandonar o rito pagão de seus pais. Ele participou da maioria de batalhas e tem deixado epopeia indelével nas batalhas de Jandagh e Khaybar. O ano oitavo da Hégira lunar, o ano da conquista de Meca, juntamente com o Profeta, limpou a Kaaba dos ídolos da ignorância.

O Imam Ali é a imagem dos valores religiosos e um homem perfeito. É uma pessoa com posição alta em misticismo, adoração, diretriz e todas as formas políticas, e de quem edifica a comunidade. Sempre que prodigava misericórdia e bondade aos crentes e nunca os  sacrificou  por interesse próprios. O método daquele sublime conduziu o desenvolvimento e perfeição humana e, de fato, desobedecer este método, dirige ao seu extravio, perda e destruição. O Profeta sobre o padrão de Hazrate Ali recomenda a Ammar Yaser assim: “Ó Ammar se vê que Ali passa apenas por um caminho, e todas as pessoas passarem de outro caminho, continua ficando no caminho de Ali, porque isso te levaria à direção certa e o outro à destruição”.

Ali é a fonte de dignidade e está no topo das virtudes e perfeições humanas. Ele foi educado sob o Islã, ombro a ombro com o Profeta e amigos e inimigos afirmam suas virtudes. Tal personagem ideal não tem limites e é o modelo para todas as comunidades humanas. Ibne Abbas um dos companheiros do Profeta, em poucas palavras sobre Hazrate Ali disse. Juro por Deus que a minha vida está em suas mãos, se os mares se tornam em tinta, árvores em canetas e todos os crentes na Terra se tornam escrivães  não se podem escrever as virtudes de Ali.

Parabenizamos todos os seus seguidores e amante pelo feliz nascimento, do pioneiro da justiça, coragem e a fé.

 

Apr 10, 2017 18:17 UTC
Comentários