• Surata Al Imran (A Família de Imran), versículos 72-76

”E não sejais como aqueles que dizem: Escutamos! Quando na realidade não escutam. Aos olhos de Deus, os piores seres animais são os “surdos” e “mudos”, que não raciocinam”.

Desejando que se possa aproveitar das elevadas sabedorias do Alcorão e iluminando a nossa vida com  estes versículos; Primeiramente começamos com a leitura o versículo 72 da surata de Família de Imran:

 وقالت طآئفة من أهل الكتاب آمنوا بالذي أنزل على الذين آمنوا وجه النهار واكفروا آخره لعلهم يرجعون

Há uma parte dos adeptos do Livro que diz: Crede, ao amanhecer, no que foi revelado aos crentes, e negai-o ao anoitecer! Talvez assim venham a se retratar. (72).

No programa anterior, foi dito que os ateus para enfraquecer a fé dos muçulmanos, haviam planejado diferentes programas, cuja importância foi misturar e disfarçar a verdade e a falsidade.

Este versículo revela outro complô do inimigo e esclareceu que os líderes do ateísmo tinham enviado alguns de seus adeptos disfarçados e com a demagogia para se apresentassem como seguidores do Alcorão e do profeta do Islã, se introduzindo nas fileiras dos muçulmanos.

Mas, depois de transcurso do tempo, eles ordenaram-nos a deixar o islã e ao mesmo tempo encorajar alguns dos  muçulmanos que ainda estavam hesitantes e equivocados, a abandonar a sua fé e religião, assim sendo, atraindo-os para a mesma escola.

É natural que este ato dava origem à fraqueza moral dos muçulmanos e deixava-os em dúvidas sobre a autenticidade de sua religião, enquanto que os ateus não tinham nenhuma razão para ser muçulmanos.

A partir deste versículo nós aprendemos que:

Um muçulmano não deve pecar por ser ingênuo e por sagacidade, deve ser vigilante e não se deixar enganar por ateus hipócritas.

O inimigo não só tem o desejo de que um muçulmano fosse convertido em ateísmo, como para alcançar seus objetivos sempre planejava programas, portanto, os muçulmanos também deviam estar dispostos a enfrentar a agressão cultural do inimigo.

Agora lemos os versículos 73 e 74 da surata da Família de Imran:

 ولا تؤمنوا إلا لمن تبع دينكم قل إن الهدى هدى الله أن يؤتى أحد مثل ما أوتيتم أو يحآجوكم عند ربكم قل إن الفضل بيد الله يؤتيه من يشاء والله واسع عليم

E não confieis senão naqueles que professam a vossa religião. Dize-lhes (ó Profeta): A verdadeira orientação é a de Allah. (Temeis, acaso), que a alguém seja agraciado com o mesmo com que fostes agraciados, ou que vos refutem perante o vosso Senhor? Dize-lhes (ainda): A graça está na Mão de Allah, que a concede a Seu critério, porque Allah é Abrangente, Sapientíssimo. (73)

 يختص برحمته من يشاء والله ذو الفضل العظيم

Ele agracia, com a Sua misericórdia, exclusivamente a quem Lhe apraz, porque Allah é Agraciante por excelência. (74)

Estudando os versículos anteriores, percebemos que os líderes judeus, para debilitar a fé dos muçulmanos haviam planejado primeiramente  fingir que acreditavam no profeta do Islã e, em seguida, se retornar a sua religião.

Este versículo define a continuação do seu plano assim: diz-lhes que este plano deve ser totalmente secreto e não pode ser revelado, a não ser aos co-religiosos e não confiar mesmo em  politeístas, por ter medo de que o seu segredo fosse revelado.

Mas Deus neste versículo revela seu plano e ordenou ao profeta para lhes dizer que o caminho é a direção de Allah e que esta orientação não é um monopólio para uma raça ou tribo especial. Além disso, essas conspirações não tiveram nenhuma influência sobre as pessoas que seguiam a orientação divina.

Este versículo, narra conversas dos líderes judeus que, contavam a seus co-religiosos: Não se imaginem que alguém possa retirar a honra e a sua Escritura  e até o dia da ressurreição podem dissuadi-los ante o seu Senhor e vencê-los.

Vocês são uma das melhores tribos no mundo e a missão profética e o elevado intelecto é somente de vocês.

Antes de estas declarações inanes, Deus responde que o favor e a recompensa estão na mão de Deus e que dispensa a quem Ele quer. Allah é imensa, onisciente, pois está ciente de todas as habilidades e dignidades. Bem, sem nenhum motivo não mostram o fanatismo e não desejam somente a Deus para si mesmo.

A partir destes versículos ficamos a saber que:

O favor de Deus não é o monopólio de um grupo especial; quem deseja e tenha capacidade o receberá.

Os grandes líderes de Escrituras divinas estão preocupados com a tendência de seus adeptos e seguidores ao Islã, por isso sempre planejam programas para prevenção.

Agora vamos ler os versículos 75 e 76 de surata da Família de Imran:

 ومن أهل الكتاب من إن تأمنه بقنطار يؤده إليك ومنهم من إن تأمنه بدينار لا يؤده إليك إلا ما دمت عليه قآئما ذلك بأنهم قالوا ليس علينا في الأميين سبيل ويقولون على الله الكذب وهم يعلمون

Entre os adeptos do Livro há alguns a quem podes confiar um quintal de ouro, que te devolverão intacto; também os há que, se lhes confiares um só dinar, não te restituirão, a menos que a isso os obrigues. Isto, porque dizem: Nada devemos aos iletrados. E forjam mentiras acerca de Allah, conscientemente. (75)

Este versículo na sequencia dos versículos anteriores ensina aos muçulmanos a consideração da equidade quando  enfrentam os opositores e diz: Entre os povos de Livro se encontram  homens fieis e devotos que, se os confiasse um quintal o devolveram intato, mas aquele  ponto de vista de monopólio e o racismo tem motivado a que alguns imaginassem que os bens  de não judeus não deveria ter respeitado e os judeus têm o direito de possuí-los.

O estranho é que esta visão equivocada encontrou a cor religiosa e dizem que Deus permitiu-lhes usurpar a propriedade de não-judeus.

Em seguida, o Alcorão diz que os muçulmanos não devem negligenciar e descuidar a re-identificar os seus direitos, sobretudo devem resistir ao usurpador e com todo o poder resgatam os seus direitos. Há também o judeu racista que tem ocupado o território palestino, e estabeleceu o país de Israel e não respeita qualquer norma ou princípio do ser humano e do mundo e cada dia tenta ocupar países islâmicos e novos territórios.

Então, é saber que os muçulmanos devem se levantar para identificar os seus direitos e não se render ao inimigo.

A partir destes versículos, aprendemos que:

Mesmo devemos considerar a justiça e equidade sobre nossos inimigos e não reconhecer todos como traidores e impuros.

Ser bondoso é um bom deposito, mesmo que esta bondade seja da parte do inimigo e a  traição é sempre feia, mesmo que seja feita contra o inimigo.

O pior de cometer um pecado é justifica-lo. O judeu usurpa e ocupa as propriedades das pessoas injustamente e justifica esse ato feio, atribuindo-o a Deus.

Ser bondoso e respeitar os acordos individuais e sociais, são sinais de piedade e virtudes dos muçulmanos, as quais  motivam que o homem seja amado por Deus.

Damos por terminado este programa com esta oração que diz: Meu Deus, mantem vivo o espírito de ser um bom depositador em nós para que possamos considerar a justiça e equidade sobre qualquer pessoa que seja.

 

Oct 18, 2017 05:33 UTC
Comentários