• Pontos de visto do Líder da Revolução Islâmica  (no seu encontro com poetas e pregadores de Ahlul-Beit por ocasião do aniversário do nascimento de Hazrate Fátima (SA)

Pars Today - Na véspera do aniversário de nascimento de Fatima Zahra, filha do Profeta Muhammad (que paz esteja com eles), poetas e panegíricos iranianos se encontraram com o Líder da Revolução Islâmica. Naquela reunião, depois que os convidados recitaram poemas em louvor em Familia do Profeta, o aiatolá Khamenei fez observações importantes sobre a posição singular da filha do Profeta Muhammad (saudações para ele e seus descendentes) e os deveres dos devotos.

No início desta visita, o aiatolá Khamenei chamou os crentes, nos dias sombrios, invocar uma justiça em suas orações ao ser Deus, Todo-Poderoso, o poder de continuar semper os profetas e todos os membros de Ahlul-Beit.

Na reunião, o aiatolá Khamenei sublinhou que o estado espiritual e grandeza moral de Fátima (SA) excederam os limites da compreensão humana. A este respeito, ele complementou: "O alto estatuto da filha do Grande Profeta deve ser ouvido e aprendido de Deus, o mensageiro, o Todo-Poderoso eo Divino, tal como o Profeta descreveu como uma alta expressão das mulheres celestiais mais superiores. verdade, os xiitas e os sunitas concordam com a veracidade da história ". O Líder da Revolução Islâmica, se refere a um hadis do Profeta, que apresenta uma Fátima Zahra como "Sayyid Nisa Ahl al-Janeh" (Senhora do Paraíso) e disse: "Deus Todo-Poderoso, no Alcorão identificou Asieh, uma esposa de Faraó e Maria (saudações estejam a elas) como modelos para todos os crentes, não só para mulheres, ou seja, Deus Todo-Poderoso colocou duas mulheres como modelos de todos os devotos. E a Fátima lidera todas estas mulheres proeminentes no Paraíso ".

O Líder da Revolução Islâmica notou a nomeação do aniversário do nascimento de Fátima como Dia da Mulher, dizendo que, na lógica islâmica, as mulheres desfrutam de uma posição destacada e quadro completo. Ele acrescentou que a mulher islâmica é um ser que tem fé, castidade, crescimento espiritual e científico e é influente na sociedade e administra a sua família e fonte de tranquilidade para os homens e também tem características femininas como delicadeza e vontade de receber dons divinos.

Em contraste com o modelo islâmico, indicou o Líder, está o pervertido modelo ocidental, que, em vez de todas as características extraordinárias e grandiosas das mulheres muçulmanas, procura atrair a atenção dos homens e suportar seu assédio, então é visto que o que predomina nas mulheres ocidentais hoje é a sua nudez. O aiatolá Khamenei disse que a tendência das mulheres ocidentais de hoje para a nudez remonta a um ou dois séculos passados. O que a política trouxe para a sociedade ocidental é um assunto longo, mas o que vê agora é que as mulheres ocidentais são a manifestação de consumo, maquiagem e exposição aos homens e uma ferramenta para a excitação sexual. O resto dos discursos ocidentais, como "igualdade de gênero", são superficiais e carecem de verdade.

Ao se referir ao reconhecimento de uma grande quantidade de mulheres ocidentais de alto nível nos últimos meses de serem vítimas de abuso sexual e violência em seus locais de trabalho, ele ressaltou que "através do hijab, o Islã fechou a porta para isso ponto; portanto, o hijab islâmico é um meio para a imunidade das mulheres, e não a sua restrição". O líder da revolução islâmica reconheceu que" hoje, a bandeira da identidade e cultural das mulheres está nas mãos das mulheres iranianas. Hoje, as mulheres iranianas protegindo o hijab proclamam sua independência e autonomia cultural diante do mundo... Desta forma, eles anunciam que as mulheres podem ter uma presença ativa e efetiva nos círculos sociais salvaguardando seu hijab, isto é, sua castidade e impedindo a exploração de homens estranhos ou pervertidos".
O aiatolá Khamenei, em seu discurso sobre o status das mulheres na cultura islâmica, criticou aqueles que menosprezam a instituição familiar e afirmam que "a igualdade genero significa que as mulheres estão presentes em qualquer arena onde estejam homens". Ele disse que esse esforço é uma traição às mulheres e sua santidade e personalidade, acrescentando: "As mulheres são respeitáveis ​​e ninguém está contra sua presença nos círculos sociais e estudando ciência e assumindo responsabilidades". Ele acrescentou: "É um sucesso da Revolução Islâmica que hoje as mulheres iranianas se encontram entre as melhores cientistas e figuras culturais, porque este não era o caso antes da Revolução e havia um número muito limitado de mulheres proeminentes em círculos culturais e científicos".

O aiatolá Khamenei descreveu a mulher como a administradora e pivô da família e disse que a responsabilidade e o dever mais importantes das mulheres é a maternidade, a condição de esposas e a criação da paz e tranquilidade na família. Ele também exortou as mulheres iranianas a "manter e reforçar os conceitos islâmicos e os quadros do Alcorão sobre as mulheres e ficar longe de pragas, como prodigalidade, rivalidades negativas e seguir o exemplo de mulheres ocidentais desviadas".

Ele recordou ainda que durante quarenta anos de conspirações inimigas incessantes e únicas contra a nação iraniana, ao mesmo tempo, cresceu a árvore virtuosa da Revolução e progrediu todos os dias como fonte de orgulho e sinal da graça de Deus. Ele acrescentou que todos, incluindo os inimigos do Irã, estão conscientes da força do país e da dependência do povo e a juventude do caminho do grande fundador da República Islâmica, Imam Khomeini (que descansa em paz) e, por isso, que os inimigos estenderam as dimensões de seus planos e apontaram a identidade independente e cultural das mulheres muçulmanas sobre o tema do hijab.

O Líder da Revolução Islâmica deixou claro que o inimigo tampouco terá exito nesta área, no entanto, o que torna a pessoa sensível é que, por vezes, aqueles que se consideram especiais, como jornalistas e intelectuais, estão acompanhando inconscientemente o inimigo na discussão sobre o véu em ambientes sociais.

O aiatolá Khamenei enfatizou a posição decisiva de Imam Khomeini contra a propagação de Haram (ilícito) e disse: "Se alguém não obedece ao hijab em casa, é um pecado entre ele e o seu Senhor, que deve responder diante de Deus, o governo não tem aver com isto, mas o que acontece no público nas ruas é uma questão social e o governo tem o dever de agir em nome do Islã, o que é proibido pela religião, obviamente, não deveria ser feito no país, ressaltou.

A este respeito, o aiatolá Khamenei recordou: "Não existe um Haram (ato ilicito) pequeno ou grande (por religião) e o que é proibido pela religião não deve ser levado a cabo abertamente, porque as leis islâmicas obrigaram o governo a prevenir execução pública de Haram".
O Líder da Revolução Islâmica, em outra parte de seu discurso, referiu-se ao slogan da liberdade e da justiça de gênero no Ocidente, dizendo: “Aqueles que, em nome da liberdade, promovem a libertinagem na sociedade, não são livres, estão cativos do culto da cultura ocidental e é a cultura ocidental que os orienta”. O que é liberdade? Liberdade é que você tenha suas próprias intenções, sua própria fé, seu próprio pensamento, seu próprio Alcorão, seu próprio modelo islâmico e possa segui-lo, isso é liberdade, isso é grandeza", disse aiatolá Khamenei.

Ele apontou as hostilidades maliciosas contra a nação iraniana e o seu sistema politico e descreveu os panegiris e os poetas da Casa do Profeta como meios fundamentais para contrariar tais animosidades. Ele se dirigiu aos panegiris e disse: "Devem cumprir seus deveres aumentando o conhecimento, sabedoria e fé do público, avançando a iluminação política, promovendo a conduta e a ética islâmicas, destacando a unidade nacional e divulgando a fraternidade e a bondade ".

No último segmento de seu discurso, o aiatolá Khamenei respondeu aos comentários de autoridades norte-americanas e européias contra a presença regional do Irã.

Ele disse: "Enquanto os Estados Unidos têm uma presença corrupta e sediciosa em todos os lugares, eles (autoridades dos EUA) constantemente levantam suspeitos sobre a presença do Irã na região. Devemos solicitar a autorização dos EUA estar na região?”, perguntou ele.

O Líder da Revolução Islâmica acrescentou: "Em relação à nossa presença na região, devemos negociar com os governos regionais ou com vocês? Sempre que buscamos uma presença nos EUA, falaremos com vocês!”, Exclamou.

Em sua opinião, as autoridades europeias que procuram negociações com o Irã sobre a sua presença na região, ele destacou o mesmo ponto e disse: "Este não é seu negócio. É nossa região ou a sua? O que está fazendo na nossa região? Fazemos com as nações regionais, fizemos isso e fêz progresso e continuaremos a progredir. Como as pessoas devem informar sobre estas políticas ", concluiu aiatolá Khamenei.

 

Mar 15, 2018 05:07 UTC
Comentários