• Pontos de vista do líder da Revolução Islâmica no Irã (em uma reunião com parlamentares)

Pars Today - Na República Islâmica do Irã, a Assembleia Consultiva Islâmica (Majles), ou seja, o Poder Legislativo ocupa um lugar crucial e importante no país, tendo amplas autoridades.

Por outra parte, o Parlamento está vinculado ao líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei, de várias formas. Conforme o artigo 110 da Constituição, o Líder deve determinar as políticas gerais da República Islâmica e supervisionar sua correta execução, bem como regular as relações entre as três forças e resolver suas prováveis ​​divergências.

Além disso, os juristas do Conselho de Guardiães, cuja função principal é a de garantir que as leis aprovadas pelo parlamento (Majles) estejam em concordância com a Constituição e com a lei islâmica (Sharia), são designados pelo líder. Por este motivo, a reunião anual de parlamentares com o Líder Supremo da Revolução Islâmica é muito importante e as suas declarações podem ser muito úteis para os legisladores do país.

O trabalho e a dedicação devem ser promovidos para satisfazer o Deus, isto foi o primeiro tema levantado pelo aiatolá Khamenei em seu encontro com os parlamentares do Irã.

No início de suas declarações, o aiatolá Khamenei disse que a prestação de serviço sincero ao povo é uma das formas mais elevadas de adoração. A esse respeito, acrescentou: "Se todas as medidas e prestações de serviços dos representantes do povo fossem pela casa de Deus e fossem realizados para atrair a Sua Satisfação, seriam serviços abençoados e vereditos e resultariam a mais aproximação a Deus Todo-Poderoso".

O aiatolá Khamenei referiu-se a uma frase do falecido Imam Khomeini (que Deus o abençoe), segundo a qual Majles (Parlamento) é "a essência das virtudes da nação". Então ele disse: "A nação iraniana é adornada com algumas virtudes como a fé, a ciência, a auto-confiança, independência, perseverança e orgulhosa pelas realizações, e o Parlamento e os seus representantes devem ser o espelho e a essência de essas virtudes e o símbolo do orgulho nacional, poder e força".

Na mesma linha, o aiatolá Khamenei enfatizou: "O Parlamento não deve ser sinônimo de dúvida, desespero, ou indiferente aos problemas do país e não deve ver as capacidades nacionais com desânimo".

O Líder da Revolução Islâmica também afirmou que "se alguém conhece a história, sabe que esta nação (Irã) sempre foi uma nação destacada ao longo da sua história”.

O Líder também recordou alguns exemplos históricos de agressão estrangeira, incluindo a invasão dos mongóis ao Irã, que não apenas ocuparam o país, como também mataram muitas pessoas. A esse respeito, ele observou: "Em todos esses tempos, a língua persa e a cultura, a arte e a civilização iraniana foram preservadas e evoluíram com vigor e isso mostra o poder e a força da nação".

Ele assinalou também a animosidade total dos inimigos em relação à nação iraniana nos últimos 40 anos e acrescentou que "durante os últimos 40 anos, desde os primeiros anos, após a Revolução Islâmica, uma frente massiva de inimigos usou as mais severas medidas hostis contra a nação Iraniana, como guerras, sanções, ameaças e criando insegurança; no entanto, hoje, a ciência, o poder, o progresso, a grandeza e a presença internacional do Irã estão aumentando dia a dia, portanto, isso é incomparável com o primeiro dia da revolução".

Em outra parte de suas declarações, o aiatolá Khamenei propôs iniciativas para aumentar a qualidade das aprovações e trabalhos legislativos dos parlamentares. Ele considera necessário melhorar a qualidade das leis do Parlamento visando solucionar os problemas do povo e ajudar o avanço do país. Por isso, enfatizou a necessidade de aprimorar continuamente a qualidade da legislação, destacando alguns pontos importantes nesse sentido. "Prestar atenção às realizações e recursos do país e evitar estritamente a legislação sobre questões consideradas menos importantes". Ele acrescentou que "as leis devem considerar principalmente a resolução dos problemas do povo, particularmente as classes média e pobre, e não devem ser uma ferramenta nas mãos e serviço dos poderosos e de camadas mais ricas da sociedade".

O aiatolá Khamenei, que sempre tem a visão muita clara sobre a dissertação e opinião dos especialistas, para aumentar a qualidade das decisões da Assembleia Consultiva Islâmica (Majles), considerou importante o uso das opiniões dos especialistas.

"Quando se vê, que alguém trabalhou durante muitos anos em um campo especifico e tem opinião própria sobre certos temas crucial para o país, então, se os deputados consultar com ele neste campo especializado, pode resolver os problemas mesmo com uma palavra curta ou com uma linha".

A este respeito, o aiatolá Khamenei qualificou de bem o centro de pesquisa da Assembleia Consultiva Islâmica. O Líder também enfatizou que o Parlamento não deve ser influenciado pela cultura e estilo de vida ocidentalizada, especialmente no contexto da família, mas indicou que, ao adotar leis, é necessário estabelecer os ensinamentos islâmicos como modelo e exemplo.

Logo referiu à ratificação de tratados internacionais na Assembleia Consultiva Islâmica. Sobre essa questão, aprofundou: "Os Estados Unidos e as potências arrogantes abusaram de alguns desses tratados com legitimidade aparentemente internacional para alcançar seus objetivos. E a adesão a esses tratados, sem conhecimento suficiente sobre eles, poderia servir como um meio de dominação e influência a favor dos poderes globais e contra os interesses nacionais do país”.

O Líder enfatizou a necessidade de lidar com essas convenções e tratados internacionais de maneira inteligente. Ele explicou que esses tratados são preparados primeiro nas salas de pensamento das grandes potências para suprir seus interesses, acrescentando que não é necessário que nos aderissem aos tratados que não conhecemos e que duvidamos sobre o seu beneficio para o país.

Outro ponto que aiatolá Khamenei destacou durante seu encontro com os deputados do Parlamento foi à necessidade de um comportamento revolucionário. Ele deixou claro que "o comportamento revolucionário não significa um comportamento inescrupuloso, mas uma atitude sábia e prudente". O Líder da Revolução Islâmica referiu-se à revelação das conspirações cotidianas dos atores hegemônicos em nível global, e descreveu como insuportáveis ​​as imagens nas quais eles veem como separam milhares de crianças de suas mães migrantes nos Estados Unidos e agregou que os norte-americanos separam, com total malícia, os filhos de seus pais migrantes. Segundo o aiatolá Khamenei, a questão da separação de milhares de crianças de suas mães [na fronteira dos EUA] é um problema sério. Ao ver estas crianças na TV, todas as pessoas com senso, ficam comovidas. "Como pode cometer tal crime, separar as crianças de suas mães com a desculpa de implementar uma política? Isso mostra o quão mal e suas atrocidades ", lamentou o Líder.

Em alusão à natureza opressiva das potências ocidentais, o aiatolá Khamenei disse: “Eles se opõem à República Islâmica, porque nos estamos buscando a justiça, defendemos o Islã e os oprimidos”. Temos que resistir diante deles. É necessário manter a solidariedade e a confiança em Deus, em sua ajuda. A nação do Irã conquistará a vitória contra os Estados Unidos e seus outros inimigos.

 

Jul 19, 2018 04:12 UTC
Comentários