Ago. 06, 2016 19:23 UTC
  • Atletas iranianos nos Jogos Olímpicos do Rio 2016

As Olimpíadas Antigas tiveram uma série de competições atléticas disputadas por atletas das cidades-estados que formavam a Grécia Antiga. De acordo com registros analisados por historiadores, os Jogos Olímpicos surgiram no ano de 776 a.C. na cidade de Olímpia (região sul do oeste da Grécia). Estes jogos foram celebrados até o ano de 393.

Os atletas disputavam várias modalidades desde a antiguidade como, por exemplo, arremesso de disco, corrida, natação, pentatlo, boxe, luta, salto a distância entre outros. Já sobre o domínio do Império Romano cristianizado, os gregos foram proibidos, em 392 pelo imperador Teodósio I, de praticar qualquer manifestação que valorizasse o politeísmo (culto a vários deuses). Desta forma, os últimos Jogos Olímpicos ocorreram em 393.

Na Grécia Antiga, os Jogos Olímpicos eram, geralmente, realizados em cinco dias. No primeiro dia ocorria uma espécie de cerimônia de abertura com músicas e juramento dos atletas. No segundo dia ocorriam as competições de pentatlo e provas a cavalo. O terceiro dia era destinado a uma festa (banquete com carne) aos atletas, árbitros e pessoas da aristocracia grega. No quarto dia ocorriam as provas de corrida, boxe, luta e pancrácio (luta corporal sem armas). A cerimônia de encerramento ocorria no quinto dia com a premiação dos atletas vencedores.

Citius, Altius, Fortius

Esta expressão em latim encorajava os atletas a darem seu melhor durante a competição olímpica: Mais rápido, mais alto, mais forte é o que significa literalmente.

Junto com o Credo Olímpico (O mais importante na vida não é o triunfo, mas a luta; o essencial não é ganhar , mas ter lutado bem), esta frase sintetiza uma filosofia de vida na qual acreditava o Barão Pierre de Coubertin.

Bandeira Olímpica

A bandeira olímpica é formada por cinco anéis de cores diferentes (azul, vermelho, preto, amarelo e verde) entrelaçados e localizados no centro da bandeira. Esta bandeira representa a universalidade do olimpísmo (espírito olímpico, ética no esporte, união através do esporte).

A bandeira olímpica é hasteada na cerimônia de abertura das Olimpíadas. Ela é levada, na posição horizontal, ao estádio olímpico por atletas e hasteada em um mastro. Enquanto a chama olímpica queima no estádio ela permanece hasteada. Na cerimônia de encerramento a bandeira é recolhida e entregue ao prefeito da cidade sede das Olimpíadas para os jogos seguintes.

Cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio 2016

Atletas, voluntários e fãs dos quatro cantos do planeta têm um encontro marcado no Estádio do Maracanã em 5 de agosto para testemunhar a cultura brasileira em um espetáculo grandioso. Assistida por bilhões de espectadores ao redor do mundo, a cerimônia de abertura é o ponto final do revezamento da tocha, e o ponto de partida para o maior evento esportivo do mundo. Medalhas conquistadas, recordes quebrados, é hora de...festejar! Marcada para o dia 21 de agosto, a cerimônia de encerramento dos Jogos Rio 2016 vai se repetir todas as emoções da abertura, desta vez para celebrar as conquistas dos atletas e agradecer a dedicação e participação de todos aqueles que ajudaram a tornar o sonho Olímpico uma realidade. Em 50 dias, mais de 10 mil atletas de 206 países se encontram no Rio de Janeiro em busca do maior prêmio do esporte.

"Um mundo novo"

"Um mundo novo" é o slogan oficial do Rio 2016. O tema desta edição dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos  anunciado, no Parque Olímpico da Barra, junto com a apresentação do designer das medalhas de premiação - tem como inspiração o poder de transformação por meio do esporte.

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), participou da cerimônia e falou sobre o reflexo positivo que os Jogos devem ter no Rio de Janeiro. "Essa é a base do movimento Olímpico: mudar o mundo para melhor. Existe um Rio de Janeiro antes dos Jogos e outro depois. Um Rio novo e melhor. Esse futuro é para a juventude do Brasil", disse.

"Bem-vindos ao inferno"

"Welcome to hell" ("Bem-vindos ao inferno"). Essa era uma das faixas que recepcionavam os turistas que desembarcavam no aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio. A faixa e outros cartazes eram exibidos por policiais civis do Estado denunciando o completo estado de falência da corporação às vésperas dos Jogos Olímpicos. A faixa "Bem-vindos ao inferno" era complementada pelos dizeres: "Policiais e bombeiros não são pagos. Qualquer pessoa que vier para o Rio não estará segura."

O Estado do Rio atravessa uma grave crise financeira, há ponto de, há duas semanas, o governador em exercício, Francisco Dornelles, ter baixado um decreto de estado de calamidade pública financeira. A União prometeu recursos emergenciais a fundo perdido no valor de R$ 2,9 bilhões, dos quais apenas uma pequena parcela será direcionada ao pagamento das horas extras dos milhares de agentes de segurança que virão à cidade trabalhar na segurança do evento. A notícia de que o dinheiro não será utilizado para pagar os salários dos servidores, nem para amenizar a situação de extrema penúria de delegacias e equipamentos irritou policiais e bombeiros, que prometem entrar em greve durante os Jogos Olímpicos. E crise econômica, epidemia de zika e acusações de corrupção que nos últimos dias chegaram às obras olímpicas, especialistas internacionais apontam um "coquetel preocupante" de fatores que, segundo eles, já atingem os Jogos do Rio 2016 e seguirão cada vez mais sob os holofotes internacionais.

Irã nos Jogos Olímpicos

os atletos iranianos marcharam na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 liderados por seu portadora de bandeira Zahra Nemati .

Chegando ao estádio em uma cadeira de rodas, com os cabelos cobertos com vestimenta nas cores verde, Nemati foi o Chamariz para uma equipe composta predominantemente por homens.

Nemati começou sua jornada ambiciosa para a primeira medalha olímpica  frente da cerimônia de abertura de sexta-feira durante a fase de qualificação de tiro com arco no Sambódromo. Ela lançou 72 flechas e acumulou uma pontuação de 609 - bom para a posição 49. Os resultados da fase de qualificação são usados para ​​determinar as semeaduras durante o torneio entre colchetes na próxima semana.

No Londres Paraolímpicos 2012, ela conquistou o ouro para se tornar a primeira mulher do Irã para fazê-lo, de acordo com o site do Rio Jogos Olímpicos.

Nemati ganhou seu lugar em ambos os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, com um forte desempenho no Campeonato de 2015 asiáticos e asiáticos Campeonato do Pará.

O Irã é um dos 206 países que participam no dia 28 em diferentes campos desportivos no 2016 Jogos Olímpicos de Verão que se abrirá em 5 de agosto, no Rio de Janeiro, Brasil. Segundo o site do Comitê Nacional Jogos Olímpicos do Irã, desde  sua primeira presença nos jogos em 1948, os atletas iranianos têm participado em todas as edições com exceção nos jogos de 1980 e 1984 , em que ganharam 60 medalhas. Este ano, um total de 63 atletas, 54 homens e 9 mulheres, irão competir em 15 campos. Os campos que incluem voleibol, judô, remo, boxe, ténis de mesa, levantamento de peso, ciclismo, esgrima, atletismo, luta livre, taekwondo, tiro, saltos e natação.

Na luta livre: Hassan Rahimi, Meisam Nassiri, Hassan Yazdani, Alireza Karimi, Reza Yazdani e Komail Qasemi.

No estilo Greco Romano, Londres 2012 vencedores das medalhas de ouro, Hamid e Omid Norouzi e Qasem Rezaei Saeid Abdevali, Habibollah Akhlaghi e Bashir Babajanzadeh.

Halterofilistas iranianos se classificaram em cinco categorias para os Jogos Olímpicos do Rio e todos eles são favoritos para ganhar as medalhas. Behdad Salimi visa manter o seu título depois de sua performance medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

No atletismo (pista e campo) categoria, nove homens e uma mulher vai competir. Nas provas de pista e de estrada, Reza Ghasemi e Hassan Taftian são representantes do Irã nos 100 metros, Hamidreza Zouravand nos 20 metros a pé e Mohammad Jafar Moradi na maratona.

No setor de eventos, Mohammad Arzandeh vai competir no salto em comprimento, em 2012 Londres vencedor da medalha de prata Ehsan Hadadi e Mahmoud Samini no lançamento de disco; e Pejman Ghalehnoei e Kaveh Mousavi no lançamento de martelo.

A única mulher iraniana no setor de eventos é Leila Rajabi que irá competir por uma medalha no arremesso de peso.

 

No taekwondo, quatro atletas, três homens e uma mulher estão nas competições . Kimia Alizadeh Zenoorin é a única mulher iraniana na categoria feminino  leve (-57 kg).

A equipe de vôlei masculino do Irã qualificou-se para os jogos como o time mais bem classificado asiático no Olímpico World Qualifying Tournament no Japão no início deste ano, significativo da estréia olímpica do país no esporte.

Quatro mulheres e um atirador do sexo masculino obtiveram lugares em diferentes eventos dos jogos. As mulheres incluem Elaheh Ahmadi (10 metros) rifle de ar, Mahlagha Jambozorg (50m Carabina 3 posições), Najmeh Khedmati em ambos os eventos e Golnoush Sebghatollahi (10m pistola de ar e pistola 25m). Pouria Norouzian (rifle 10m e rifle 3 posições 50m) é o único atirador Masculino do Irã.

Ciclistas iranianos no evento incluem Qader Mizbani ,Arvin Moazzami e Samad Pourseyedi.

O Irã qualificou três judocas para cada uma das seguintes categorias de peso: Alireza Khojasteh, Saeid Mollaei e Javad Mahjoub.

Três atletas irão jogar para o Irã nas competições de ténis de mesa. Irmãos Nima e Noshad Alamian e Neda Shahsavari vai jogar nas categorias individuais de mulheres e homens , respectivamente.

esgrimistas, Sabre Ali Pakdaman e Mojtaba Abedini são os candidatos na categoria de sabre masculino.

A presença de atletas mulheres muçulmanas  iranianas com  valores islâmicos nos jogos olímpicos é um símbolo de confiança e respeito pelos valores da mulher muçulmana.

Ao examinar as razões para o sucesso da equipe olímpica do Irã Deve-se também pagar para o vice-ministro da Juventude e esportes,  Ministério e também o presidente  secretário-geral dos Jogos Olímpicos do Comite da vila dos atletas no coração são fortes e bravos homens e mulheres no Irã nos esportes olímpicos para ousar e ir contra o seus concorrentes. No entanto, os filhos desta terra, nestes dias são pessoas espirituais difíceis e de sensíveis históricos, que precisam de apoio e das pessoas que haviam  acompanhado.

O evento ocorre entre os dias 5 e 21 de agosto de 2016 e as Paraolimpíadas serão entre 7 e 18 de setembro do mesmo ano. O local de encerramento será no Estádio do Maracanã.

A cerimônia de abertura acontecerá no dia 5 de agosto, com início marcado para as 20h (de Brasília) e término por volta das 23h. Já no dia 21 de agosto, também no Maracanã, a cerimônia de encerramento durará pouco mais de duas horas, entre 20h e 22h20.

O tema central das cerimônias será a história do povo brasileiro, cuja mensagem, em um momento no qual o mundo vive uma onda de xenofobia, é a de que a imigração é positiva. Sabe-se que o evento destacará desde os costumes indígenas no país até a chegada dos asiáticos por aqui, passando pela colonização europeia e a riqueza cultural africana.

Tags