Mar 12, 2016 09:22 UTC

Os meios de comunicação ocidentais têm lançado grande propaganda tentando insinuar que o pensamento islâmico é a raiz do terrorismo.

Foi nesta direção que o Líder Supremo da Revolução Islâmica, num fragmento da sua carta à juventude ocidental escreveu: "Por outro lado tem que perguntar por que aqueles que nasceram na Europa e tiveram a educação e o seu crescimento intelectual e espiritual no mesmo ambiente, foram atraídos por estes grupos? Como pode acreditar que as pessoas com uma ou duas viagens às zonas da guerra, de repente se tornassem tão extremistas e fanáticas que pudessem atirar contra os seus compatriotas? Definitivamente, não devem esquecer um longo tempo de ser alimentadas por uma cultura indecente, num ambiente contaminado e gerador de violência. Talvez o profundo ódio causado pela desigualdade e descriminação estrutural e jurídica proveniente do efeito da prosperidade económica e industrial, pudesse ter criado complexos entre algumas camadas das sociedades ocidentais, o que se manifestaria agora como uma doença mórbida”.

As estatísticas mostram que Daesh já tem recrutado indivíduos de mais de 90 países incluindo da Bélgica, França, Suíça, Itália, Áustria, Suécia e Alemanha. Algumas fontes têm estimado o número de membros europeus do Daesh, de três mil e outros muito mais do que isso, calculando para além de dezenas de milhares. Recentemente, o jornal francês "Le Figaro", relatou que pelo menos um terço dos membros de Daesh são europeus.

Os analistas identificam várias razões para este fascínio e ansiedade de jovens pelo Daesh. Alguns indicam promessas financeiras, como um motivo que pode de certa forma resolver as dificuldades financeiras dos recrutados. Mas muitos ocidentais que se juntaram à Daesh, possuem uma vida razoável e até tinham desistido das ofertas melhores e mais atraentes para se juntar à Daesh.

Ocidente tem um conhecimento incompleto do Islã e existe uma lacuna de informação sobre o islamismo. A maioria dos ocidentais que se converte ao Islã tem um conhecimento superficial desta religião e dos seus valores humanos. Normalmente, estes muçulmanos novos obtiveram o seu conhecimento islâmico através dos livros escritos por wahabitas da Arábia Saudita, que são acessíveis em grande escala e muito facilmente adquiridos no Ocidente. O wahabismo, que se originou de um pensamento pervertido, é uma seita ultraconservadora e fanática no Islã que foi criado há séculos por respaldo da Inglaterra e dos EUA, sendo sempre criticado por outras escolas de pensamento islâmico. Tendo em conta a sua localização que fica no centro da historia islâmica, (em Meca) este pensamento pervertido se insinuando como a imagem e a linguagem do islamismo. As orientações da Arábia Saudita que também tiveram apoios dos governos ocidentais, especialmente dos Estados Unidos, de acordo com os seus objetivos tendenciosos têm conduzido alguns muçulmanos e os novos muçulmanos que vivem no Ocidente, os quais pouco informados dos valores islâmicos.

Os muçulmanos que vivem na Europa e nos EUA são minorias. A imposição de uma política secular e laica, durante muitos anos, teve como alvo afetar os valores religiosos, sendo humilhada e menosprezada a religiosidade. Tudo isto que se chama a modernidade, tem descriminado cada vez mais a minoria muçulmana sob pressões psicológicas de tal situação. Talvez, alguns jovens do Ocidente que se juntam ao Daesh tivessem uma sensação vingativa pela esta situação desigual que tem um enfrentamento constante e ilógico e insensato para com a religiosidade.

Outro fator importante que facilita atração da juventude ocidental pelo extremismo e grupos como Daesh, provavelmente tenha a ver para a formação cultural da sociedade ocidental. Propagação de agressão e promiscuidade sexual é conhecida como traço da cultura do Ocidente. Os pensadores ocidentais há décadas que têm advertido o impacto devastador destes traços e as suas consequências, procurando uma solução.

Daesh com a exibição de armas avançadas, batalhas campais e a violência sem precedente, estimula o senso aventureiro dos seus membros extremistas. Os filmes Hollywoodianos que são os símbolos da cultura ocidental há muito tempo, têm promovido uma cultura de violência e sexo. De fato, o Daesh respondeu à necessidade psicológica dos que já se formaram pela esta cultura.

Daesh, simultaneamente com a pratica de extrema violência, atraiu jovens e mulheres ao seu serviço prometendo a compensação divina e a felicidade eterna. Por outro lado, as mulheres que são capturadas, brutalmente foram assediadas como escravas sexuais. Daesh que alega islâmico transgrediu todos os valores islâmicos e oficialmente está fazendo o trafico de sexo.

Um Ocidente esvaziado de espiritualidade e mergulhado em materialismo encara uma crise sentimental. Os jovens ocidentais para preencher este vácuo de espiritualidade, e livrar desta crise sentimental, procuram convicção artificial aparentemente transcendental e mística.

As pesquisas dos antropólogos franceses indicam que a motivação dos jovens ocidentais para se juntar às organizações terroristas como Daesh, são a angustia, confusão e a desorientação mental e social e por outro lado o vácuo que se deve a falta de atração pela filosofia e pensamento dos grandes pensadores ocidentais, tais como o liberalismo e o marxismo em que em certos momentos ocupavam a mente da juventude. Neste contexto, os jovens procuram um refugio para preencher este vácuo intelectual e um local onde possam se apresentar e fazendo algo valioso. Eles imaginam que podem através do Daesh de se realizar e prestar algo importante ao mundo.

O Pensamento secular no Ocidente insinuava que pequenos esforços como jardinagem podem proporcionar certa importância e significado à vida, sabendo que o homem pela sua natureza procura objetivos mais ambiciosos, e sem isto não se sente tranquilo, realizado e útil.

Daesh aproveitou deste vazio sentimental e espiritual, prometendo a felicidade eterna e uma utopia com a formação da governança global, assim sendo criar uma miragem para atrair os jovens.

Neste comentário falamos de desinformação sobre os nobres e genuínos ensinamentos do Islã, vingar pela humilhação e discriminação que o Ocidente tem feito sobre outras culturas, a crise de identidade e a promoção da violência, vulgaridade e imoralidade na cultura ocidental, como alguns fatores subjacentes pela atração da juventude europeu e ocidental aos grupos terroristas tais como Daesh.

Com estes argumentos, combater ao terrorismo, precisa de uma identificação correta das raízes culturais em que a juventude ocidental pode observar e mesmo criticar. No próximo comentário, desenvolveremos outros fragmentos da carta do Líder aos Jovens ocidentais.

Comentários